Quando a vacina vale mais que o passaporte


E se a nacionalidade não importasse mais na hora de visitar um país? Pois, pela primeira vez, isso pode virar realidade até mesmo para lugares onde o passaporte não é tradicionalmente bem-vindo. O motivo seria a vacina da covid-19 e sete nações já anunciaram oficialmente ser vacinado como requisito principal de entrada em seus territórios. Além deles, uma lista crescente de países está estudando a ideia. 

Conto quais implementaram essa nova regra no texto e episódio do podcast Tesão de Ouvir, além das dicas de como estar sempre preparado para não perder oportunidades de viajar.

Busque Tesão de Ouvir na sua plataforma de áudio preferida e comece a seguir para novos episódios.
Escute e siga no Spotify

Quando a vacina vale mais que o passaporte

O surgimento da vacina covid-19 deu aos viajantes do mundo um primeiro toque de esperança em um ano de pandemia. Mas quem tem dúvidas sobre a eficácia ou em qual laboratório confiar. Deve avaliar também o quanto viajar é prioridade na sua vida. Francamente, acredito ser irreversível o viajar para fora do Brasil sem estar imunizado, pelo menos nos próximos anos. 

Não estou em nenhuma lista de prioridades e suponho alguma demora para ter direito, mas estou de olho nas opções de turismo da vacina, como anunciou Cuba semana passada: turistas que viajarem ao país poderão ser vacinados contra a covid-19, disse Vicente Verez, diretor do Instituto Finlay de Vacinas de Havana. 

E aí deixo uma dica

Em meio a tantas notícias e especulações, é muito importante ler na íntegra para se aprofundar na informação. Sugiro verificar em diferentes fontes pessoalmente e não confiar cegamente no que foi repassado pelos grupos, mesmo que seja por aquele amigo de confiança. Assim somos capazes de identificar o que é verdadeiro e o que é fake news e temos o poder de barrar a disseminação das notícias que só atrapalham e geram caos. Lembrando que o caos gera lucro para alguns oportunistas.

Algumas nações já anunciaram planos para retirar os requisitos dos turistas com provas de terem sido vacinados. No entanto, isso não significa que as fronteiras serão totalmente abertas. Mesmo os países que permitem visitantes vacinados ainda podem exigir vistos ou proibir viagens não essenciais.

Além disso, pode haver outras restrições dependendo do país de origem do viajante. E ainda pode ser necessário fornecer documentação adicional como atestado médico, teste e seguro saúde. Isso porque ainda não existe um padrão internacional para comprovação de imunização como temos para Febre Amarela, por exemplo. Cabe a cada viajante comprovar na forma exigida em cada destino, atender a todas as solicitações de documentação e obedecer às restrições que existam durante a visita.

Países que exigem vacina da covid-19

Qantas foi a primeira (antes de qualquer país) a anunciar a exigência da vacina para embarcar assim que seus voos internacionais forem retomados. Qantas é uma das melhores companhias aéreas do mundo e deve retomar as rotas internacionais quando a Austrália reabrir para o turismo (previsto para 2022).

Lembrando que as restrições podem mudar a qualquer momento como temos visto acontecer rapidamente nos últimos meses. Como já escrevi e tento atualizar com frequência no texto Coronavírus e viagens, certifique-se de verificar as últimas restrições no site da IATA dias antes da sua partida. IATA é a Associação Internacional de Transportes Aéreos e dispõem da ferramenta mais rápida e confiável para acompanhar as atualizações das regras de entrada nos países.

Os países abertos aos viajantes vacinados e requisitos de entrada em seus territórios estão atualizados no texto “Vacina para viajar

Qual a sua prioridade?

Viajar é prioridade na minha vida desde a infância e posso dizer que estou sempre pronta para a próxima aventura. Mas não basta só vontade, tempo ou dinheiro, é preciso ter os documentos em dia para quando as oportunidades surgirem. E sou prova que elas surgem de formas inesperadas e a burocracia nunca me impediu de aproveitá-las. Sempre me preocupei em verificar as datas de validade dos documentos normalmente exigidos para viajar e tratei de renová-los antes do prazo. Para detalhes de cada item, sugiro usar o texto Checklist viagem internacional como passo a passo. Por hora, listo os mais comuns:

  • Carteira de identidade é bom renovar a cada 10 anos e manter em bom estado. Serve para viajar pela América do Sul.
  • Passaporte é válido por 10 anos, embora o de emergência possa ser feito no mesmo dia, nem todos os países aceitam. Eu faria somente em caso de furto ou perda.
  • Carteira Internacional de Vacinação, até 2020, a única exigência de alguns países era para Febre Amarela e isso deve mudar agregando covid-19, embora ainda não exista regra padrão como falei.

Acontece que a vacina da Febre Amarela era exigida a cada 10 anos (eu já tomei 3 vezes), até que estudos comprovaram uma dose única ser suficiente para vida toda. 

Vacina obrigatória para viajar comprovada pelo certificado
Certificado Internacional de Vacinação

Da mesma forma, espero que as pesquisas comprovem isso para covid e que a ideia da nacionalidade perder a importância na hora de visitar um novo país continue válida para que o direito de explorar o mundo seja para todos. 

Vem vacina!

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais. Imagens sem marca d’água de Pixabay.

Para quem chegou até aqui, agradecemos por valorizar o nosso conteúdo. Diferente das grandes corporações de mídia, Territórios é independente e se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e ouvintes. Você pode apoiar o nosso trabalho de diversas formas como:

1. Aproveitar os benefícios do financiamento coletivo

2. Levar nossos guias de viagem no celular

3. Contratar produtos e serviços recomendados através dos links nos artigos. Exemplos e como fazer: alugar veículos, reservar hospedagem e excursões, comprar seguro, chip internacional e moeda estrangeira, entre outros. A venda nos gera uma comissão sem aumentar o valor final, inclusive, repassamos os descontos para você.

A informação foi útil? Talvez queira apoiar e fazer parte da comunidade Territórios!

Compartilhe ideias e converse com outros leitores no grupo no Facebook ou acompanhe no Spotify e grupo de avisos do Whats App.

Você está em INICIAL » + » OPINIÃO » Quando a vacina vale mais que o passaporte
Roberta Martins

Comunicadora, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 15 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e aventura. Saiba mais na página da autora. Encontre no Instagram

Deixe seu recado, escreva algo

Chile aberto para brasileiros Rotas para voar no RS agosto