Um pouco sobre Arequipa, nossos dias de compras por lá e as viagens de ônibus-leito desde Puno a Arequipa e volta a Lima pela Panamericana, a famosa estrada que cruza as Américas de norte a sul.

Read in English

O texto continua após os serviços recomendados no destino.

Leia todos os artigos sobre o país

AGILIZE SUA VIAGEM
Precisa de seguro viagem? Saiba como comprar online

Leve o chip internacional com Internet desde o Brasil

Agende passeios e transfer agora na Get Your Guide ou saiba como funciona

Arequipa
Vulcão El Misti

O que fazer em Arequipa

Arequipa leva esse título de cidade branca por seu muros de pedra branca e origem vulcânica. Rodeada pelos vulcões Chachani, Misti e Pichu Pichu, os cenários são lindos em qualquer ângulo. Deixamos o primeiro dia para visitar os principais atrativos no centro histórico, o último para as compras e no meio fizemos um tour até o Cânion Colca.

O centro histórico de Arequipa é facilmente percorrido a pé, mas senti falta de não ter contratado um guia para conhecer melhor a história, afinal é Patrimônio Cultural da UNESCO. Os atrativos imperdíveis são:

Plaza de Armas de Arequipa
Plaza de Armas

A Plaza de Armas da cidade branca é a mais bonita de todas que vi no Peru, tem uma catedral grande e ainda aparecem vulcões com neve atrás.

Visitamos o Mosteiro Santa Catalina e adoramos. É simples, cheio de história, obras de arte e ainda tem uma música ambiente que faz agente entrar no clima do lugar.

Mosteiro Santa Catalina
Mosteiro Santa Catalina
Clique para receber dicas da América do Sul por e-mail

Por fim, o nosso primeiro dia sem compromissos após quase um mês de todo o mochilão foi dedicado às compras. Primeiro, dormimos até tarde e passamos o resto do dia entrando em becos e lojas. Arequipa é o melhor lugar para comprar prata, artesanato e roupa mais baratos de todo sul do Peru.

4800 metros de altitude no ponto mais alto da estrada para o Salar de Tara+ Cuidados com soroche

Viagem de ônibus de Puno a Arequipa

Sentimos muito frio viajando e cada uma tinha levado o seu saco de dormir para se esquentar. As temperaturas devem ter sido negativas. Chegamos as 4h30 da madrugada e ficamos esperando na rodoviária até amanhecer. Um taxista nos levou em vários hotéis até conseguirmos um bom e barato.

Viajando na Panamericana

De noite pegamos o ônibus para Lima. Foram 16h de viagem pela estrada que cruza as Américas de norte a sul. Dormimos, só acordei com o sol na cara. A paisagem era deserto por todos os lados, de vez em quando aparecia uma casinha perdida no meio do nada. Não sei como eles sobrevivem. De repente a paisagem ficava verde, eram terras irrigadas com plantações e voltava o deserto, foi assim até chegarmos a Lima. Eu sentia no nariz a diferença do clima seco e muito calor. Em alguns trechos enxergávamos o pacífico, muita areia e rochas, por vezes as ondas quebravam enormes na beira da praia. A estrada passava nos estados de Ica e Nazca, bem no meio das Linhas de Nazca, mas só dá para ver voando.

Outra opção para percorrer a Panamericana é alugar um carro, a estrada é boa e bem sinalizada, diferente dos outros trajetos feitos entre Cusco, Puno e Arequipa.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Para quem chegou até aqui, agradecemos por valorizar o nosso conteúdo. Diferente das grandes corporações de mídia, Territórios é independente e se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e ouvintes. Você pode apoiar o nosso trabalho de diversas formas como:

1. Aproveitar os benefícios do financiamento coletivo

2. Levar nossos guias de viagem no celular

3. Contratar produtos e serviços recomendados através dos links nos artigos. Exemplos e como fazer: alugar veículos, reservar hospedagem e excursões, comprar seguro, chip internacional e moeda estrangeira, entre outros. A venda nos gera uma comissão sem aumentar o valor final, inclusive, repassamos os descontos para você.

A informação foi útil? Talvez queira apoiar e fazer parte da comunidade Territórios!

Compartilhe ideias e converse com outros leitores no grupo no Facebook ou acompanhe no Spotify e grupo de avisos do Whats App.

Você está em INICIAL » PERU » AREQUIPA » Arequipa, a cidade branca e viajando na Panamericana
Author Roberta Martins

Comunicadora, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 15 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e aventura. Saiba mais na página da autora. Encontre no Instagram

5 Comentários

  1. Roberta, muito legais seus comentários. Viajo no próximo dia 17/05 e gostaria de saber se vc comprou esse pacote para o Vale do Colca em Arequipa? Foram dois dias completos.?..tipo sai de manhã de Arequipa, dorme em Chivay ou outro lugar , passa mais um dia na região e volta à tarde. É isso?
    Abço, Zamboni

    • OI Zamboni, vais na mesma época que eu fui. E sim foi exatamente assim que aconteceu o passeio. Contratei em Arequipa mesmo no dia anterior.

  2. oi Roberta td bem?

    meu nome é Anna Paula, vou viajar para o Peru em junho, não vou com agência de viagem, e por isso estou atrás de dicas das pessoas que já tiveram neste local..encontrei vc..

    Não sei se podes me ajudar, tipo dicas de hoteís, empresas de ônibus, empresas aéreas 9pois já ouvi falar q tem umas q são um horro!), média de preço dos passeios etc..

    Embarco dia 03/6, vou fazer o seguinte roteiro: Lima, Nazca, ilhas Ballestas, Arequipa, (irei “pular” Puno), Cusco..conhecendo assim as atrações de cada região, retorno de viagem dia 13/06.
    se puderes me ajudar agradeço desde já…
    abraço
    Anna Paula
    [email protected]

Deixe seu recado, escreva algo