Roberta no frio que vem do sul

O frio que vem do sul e outros roteiros – Tesão de Ouvir


Neste primeiro episódio do podcast Tesão de Ouvir – O frio que vem do sul, eu e Luciano Nagel contamos como é viver no Rio Grande do Sul durante o inverno e o motivo de sentirmos mais frio aqui do que em países com temperaturas muito mais baixas. Nessa conversa, recordamos momentos gelados pelo Brasil e pelo mundo trazendo curiosidades de alguns países e o que mais gostamos de fazer na estação.

Entre elas, o Vento Minuano conhecido dos gaúchos por “doer os ossos” e, ao mesmo tempo, ser parte da nossa orgulhosa cultura. Para explicar o fenômeno, conversamos com Estael Sias (@EstaelSias), meteorologista formada pela UFPEL e com mestrado na USP na área de tempestades.

Clique se não sabe o que é um podcast


Podcast é a evolução do hábito de ouvir rádio. As maiores diferenças são democratização (qualquer um pode criar um programa) e poder de escolha. O ouvinte decide em qual dispositivo, plataforma e horário deseja escutar sem a frustração de procurar uma estação e não achar nada bom. Ainda pode baixar para usar quando estiver sem internet. O lado ruim é cada vez ter mais opções, por isso, é bom seguir, favoritar e recomendar os que mais gosta.

Tecnicamente, é uma transmissão de arquivo de áudio pela internet. Onde um produtor de conteúdo cria o programa e vai postando os episódios que podem ter entrevistas, bate-papo, opinião, leitura, música e a lista é infinita. Inclusive, programas rádio e TV tradicionais estão migrando, ou criando versões nesse formato, para não perder espaço para a concorrência.

O frio que vem do sul e outros roteiros

“O nome Vento Minuano foi atribuído a um grupo indígena que habitava os campos do estado do Rio Grande do Sul e também Uruguai. A história conta que a origem desses índios é da região da  Patagônia. Uma região muito gelada e, por isso, faz essa referência a uma região tão fria do planeta se adotou o nome vento minuano, se deu esse apelido que tem essa característica associada justamente ao ar polar. Traz esse efeito, ainda se sobrepondo a baixa temperatura, a sensação térmica de temperatura de marcas negativas intensificando desconforto e a sensação de frio no Uruguai, no Rio Grande do Sul e também nos estados de Santa Catarina, Paraná, norte da Argentina. O vento é o mesmo, mas aqui recebe esse nome especial.” Explica Estael Sias

O tema é útil para se preparar antes de visitar destinos de inverno. Aproveite também nossos artigos abaixo para ajudar a planejar a viagem.

Histórias mencionadas ou relacionadas:

Ouça e siga Tesão de Ouvir nas plataformas:

Anchor

Apple Podcasts
https://podcasts.apple.com/us/podcast/tes%C3%A3o-de-ouvir/id1524053374

Breaker
https://www.breaker.audio/tesao-de-ouvir

Pocket Casts
https://pca.st/i67sbjj4

Google Podcast (somente Android)
https://www.google.com/podcasts?feed=aHR0cHM6Ly9hbmNob3IuZm0vcy8yYjg3MGI4OC9wb2RjYXN0L3Jzcw==

Overcast
https://overcast.fm/itunes1524053374/tes-o-de-ouvir

RadioPublic

INICIAL » BRASIL » RIO GRANDE DO SUL » O frio que vem do sul e outros roteiros – Tesão de Ouvir
Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 14 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

2 comentários

  1. PQP! Agora eu senti frio, cheguei até a colocar um casaco, uma meia no pé. Lembre de todos os frios que passei na vida, daquele vento que vinha, de Jaguarão, da beira do rio… E aí acabei indo do frio Congelante para esse calor escaldante aqui em Campinas. Aqui é estilo teu colega tava dizendo sobre o clima de deserto. Agora no inverno, a umidade do ar vai a 15% e a sensação térmica cai a noite. Dá uma esfriada boa

    1. Hahahaha, vem passar o inverno por aqui!!! Eu sinto falta do ar seco de São Paulo, me adaptei super bem.

Deixe uma resposta