O frio que vem do sul e outros roteiros – Tesão de Ouvir


Neste primeiro episódio do podcast Tesão de Ouvir – O frio que vem do sul, eu e Luciano Nagel contamos como é viver no Rio Grande do Sul durante o inverno e o motivo de sentirmos mais frio aqui do que em países com temperaturas muito mais baixas. Nessa conversa, recordamos momentos gelados pelo Brasil e pelo mundo trazendo curiosidades de alguns países e o que mais gostamos de fazer na estação.

Entre elas, o Vento Minuano conhecido dos gaúchos por “doer os ossos” e, ao mesmo tempo, ser parte da nossa orgulhosa cultura. Para explicar o fenômeno, conversamos com Estael Sias (@EstaelSias), meteorologista formada pela UFPEL e com mestrado na USP na área de tempestades.

O frio que vem do sul e outros roteiros

Busque Tesão de Ouvir na sua plataforma de áudio preferida e comece a seguir para novos episódios.
Escute e siga no Spotify

“O nome Vento Minuano foi atribuído a um grupo indígena que habitava os campos do estado do Rio Grande do Sul e também Uruguai. A história conta que a origem desses índios é da região da  Patagônia. Uma região muito gelada e, por isso, faz essa referência a uma região tão fria do planeta se adotou o nome vento minuano, se deu esse apelido que tem essa característica associada justamente ao ar polar. Traz esse efeito, ainda se sobrepondo a baixa temperatura, a sensação térmica de temperatura de marcas negativas intensificando desconforto e a sensação de frio no Uruguai, no Rio Grande do Sul e também nos estados de Santa Catarina, Paraná, norte da Argentina. O vento é o mesmo, mas aqui recebe esse nome especial.” Explica Estael Sias

O tema é útil para se preparar antes de visitar destinos de inverno. Aproveite também nossos artigos abaixo para ajudar a planejar a viagem.

Histórias mencionadas ou relacionadas:

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Para quem chegou até aqui, agradecemos por valorizar o nosso conteúdo. Diferente das grandes corporações de mídia, Territórios é independente e se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e ouvintes. Você pode apoiar o nosso trabalho de diversas formas como:

1. Aproveitar os benefícios do financiamento coletivo

2. Levar nossos guias de viagem no celular

3. Contratar produtos e serviços recomendados através dos links nos artigos. Exemplos e como fazer: alugar veículos, reservar hospedagem e excursões, comprar seguro, chip internacional e moeda estrangeira, entre outros. A venda nos gera uma comissão sem aumentar o valor final, inclusive, repassamos os descontos para você.

A informação foi útil? Talvez queira apoiar e fazer parte da comunidade Territórios!

Compartilhe ideias e converse com outros leitores no grupo no Facebook ou acompanhe no Spotify e grupo de avisos do Whats App.

Você está em INICIAL » BRASIL » RIO GRANDE DO SUL » O frio que vem do sul e outros roteiros – Tesão de Ouvir
Roberta Martins

Comunicadora, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 15 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e aventura. Saiba mais na página da autora. Encontre no Instagram

2 Comentários

  1. PQP! Agora eu senti frio, cheguei até a colocar um casaco, uma meia no pé. Lembre de todos os frios que passei na vida, daquele vento que vinha, de Jaguarão, da beira do rio… E aí acabei indo do frio Congelante para esse calor escaldante aqui em Campinas. Aqui é estilo teu colega tava dizendo sobre o clima de deserto. Agora no inverno, a umidade do ar vai a 15% e a sensação térmica cai a noite. Dá uma esfriada boa

    • Roberta Martins Responder

      Hahahaha, vem passar o inverno por aqui!!! Eu sinto falta do ar seco de São Paulo, me adaptei super bem.

Deixe seu recado, escreva algo

Chile aberto para brasileiros Rotas para voar no RS agosto