inverno

Amo fazer no inverno


Privilégio de uma pequena parte do território nacional, o inverno merece ser celebrado e aproveitado calorosamente. Eu adoro todas as estações (desde que as temperaturas não sejam extremas, é claro), principalmente, o equilíbrio de poder viver um pouco de cada uma de três em três meses. Em São Paulo sempre senti falta do inverno, ele chega, sou a primeira a sair na rua para apreciar o ar gelado, mas passa tão rápido que deixa gostinho de quero mais. Por isso, hoje valorizo muito mais as coisas boas do inverno do que nos anos vividos no Rio Grande do Sul.

Amo fazer no inverno

Lagartiar no sol comendo bergamota, qual gaúcho nunca?
Lagartear no sol comendo bergamota, qual gaúcho nunca?

Neste inverno voltei às origens e vou dividir com vocês as delícias do período mais aconchegante do ano. Delícias porque quase todas envolvem o paladar e é por onde começo a divagar…

Saborear

Não tem jeito, comer bem é o melhor do inverno com o benefício de alguns alimentos ajudarem a esquentar o corpo e a alma. É tempo de degustar pratos apimentados, tomar chocolate quente, fazer bolinho de chuva, aquecer a mão na caneca do chá, cozinhar pinhão, molhar o pão na sopa e se acabar em fondues, queijos e vinhos.

É a estação mais agradável de cozinhar e chamar os amigos em casa, se for para comer fora, a preferência é dos restaurantes com lareira, afinal, quanto mais aconchegante melhor.

Entre as minhas comidas preferidas estão: sopa no pão, espinhaço de ovelha, chocolate quente com rum e gemada (o cremoso com chocolate de Gramado também vale), mingau com canela, fondue de queijo com carne, chá de limão com mel e gengibre, bergamota (considerando comer no sol) e quase todos os tipos de molho com massa. Os preparados por mim, fogem do tradicional com uma pitada da cultura gastronômica adquirida nas viagens.

Provolone derretido com orégano e vinho chileno
Provolone derretido com orégano e vinho chileno

Curtir a casa no inverno

Aposto que em nenhuma outra estação as pessoas têm tanta vontade de voltar pra casa. Seja para ver filme embaixo das cobertas, tomar um banho quente, calçar a pantufa, ligar a estufa ou ver o frio do lado fora só pela janela. Agora, nada supera a lareira, apesar do fogão a lenha competir parelho, ainda fico com o fogo na sala me envolvendo com suas cores e movimentos. Serve como cenário para reunir a família, aquele clima romântico, receber os amigos e até preparar quitutes. Eu uso como churrasqueira e faço pimentão recheado, carne assada, queijo derretido e bruschetta. Sempre com um bom vinho.

Um bar com amigos
Um bar com amigos

Socializar

Mas não dá para ficar só em casa e algumas cidades como Montevidéu e Buenos Aires são a prova de como as pessoas aproveitam as ruas sem medo do frio. Mesmo nas madrugadas geladas há gente passeando, muitos com chimarrão na mão. Falando no meu maior vício, adoro esquentar as mãos na cuia enquanto tomo o meu chá preferido. A razão de sair para rua é buscar calor humano, ver gente, encontrar amigos em algum café ou aproveitar para visitar museus, ir ao teatro… lugares onde não importa se o dia está feio ou bonito do lado de fora. Já os dias ensolarados pedem pra tirar o mofo e lagartear no sol (termo gaúcho para ficar sem fazer nada no sol).

No inverno melhora a visibilidade nos canyons dos Aparados da Serra, durante trilha no Canyon Fortaleza
No inverno melhora a visibilidade nos canyons dos Aparados da Serra, durante trilha no Canyon Fortaleza

Botar o sangue para circular

Falando em esquentar o corpo, praticar exercícios também espanta o frio e dá uma energia extra para combater a preguiça, além de queimar as calorias adquiridas recentemente. Longas caminhadas urbanas fazem parte da minha rotina e as trilhas, sempre que possível, têm a preferência. No inverno as roupas protegem o corpo dos arranhões e picadas de insetos, o calor que nós mesmos produzimos deixa tudo mais agradável e as paisagens são mais bonitas para apreciar e fotografar.

Doces finos tradicionais em Pelotas
Doces finos tradicionais em Pelotas

Aproveitar as festas

O inverno no hemisfério sul acontece em época de férias, colheitas, festivais e dias de santos famosos. Boa oportunidade de conhecer folclores regionais e mais um motivo para se esbaldar comendo. O melhor é quando aquele amigo te convida pra pular a fogueira na festa do sítio dele, mas não me interprete mal, pode ser dela e quanto mais amigos presentes, melhor.

Além das Festas Juninas (São João dia 24/06 e São Pedro 29/06) com seus quitutes tradicionais, tem as Julinas (seria pra celebrar a colheita de julho em alguns lugares, mas virou imitação de festa junina urbana), o Festival Bonecos Canela (último final de semana de junho) e o consagrado Festival de Cinema de Gramado (em agosto).

Sem esquecer da Festa Nacional do Doce (Fenadoce) realizada sempre no mês de junho na minha terra natal. Pelotas respira doce por quase 20 dias, dos cristalizados às tortas até os doces finos. Meus preferidos são os de origem portuguesa feitos com ovos, mesmo a receita vindo de lá, a tradição é tão forte que tem até Selo de Autenticidade para identificar a procedência nos Doces de Pelotas.

Veja sugestões de atrações no mês de agosto.

Meu casacão preferido é quase um saco de dormir
Meu casacão preferido é quase um saco de dormir

Vestir roupas e acessórios elegantes

Casacões, mantas e botas deixam as pessoas muito mais charmosas sem aquela aparência derretida dos dias mais quentes. Uma boa combinação pode ser bem prática e ainda surpreender quando mostramos a produção por baixo do casaco. Lembro de um inverno congelante em Amsterdam quando resolvi ir para balada e observei como as holandesas se apresentavam. Na entrada tudo preto e escondido; na chapelaria uma transformação: elas trocavam o sapato, guardavam casacos e mantas em mochilas e colocavam uma bolsa compacta; no bar e na pista só beleza e muito estilo.

Guerra de bolas de neve nos Alpes Franceses
Guerra de bolas de neve nos Alpes Franceses

Planejar a próxima viagem

Brincar na neve também esta na lista das coisas que amo fazer no inverno. Como ver neve no Brasil é questão de estar na hora, dia e lugar certos. Melhor não contar com a sorte e conhecer os países vizinhos. Chile e Argentina tem lugares incríveis e neve garantida neste período.

Naqueles dias que estamos cheios de passar frio e tudo o que escrevi acima já perdeu graça (lá por meio de agosto), é hora de pensar no próximo destino porque a primavera já está chegando e o verão é logo ali. E como quando não estou viajando, estou pensando na próxima viagem, adoro ficar embaixo do cobertor pesquisando na internet por destinos com PRAIAS!

E você, o que ama fazer no inverno? Se nunca experimentou as sensações acima ou não faz ideia sobre as coisas citadas (algumas são bem regionais), indico uma viagem para conhecer o sul do Brasil, especialmente o Rio Grande do Sul.

Fotos de Roberta Martins, Adrien Bernhardt e Leandro Gabrieli.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Para quem chegou até aqui, agradecemos por valorizar o nosso conteúdo. Diferente das grandes corporações de mídia, Territórios é independente e se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e ouvintes. Você pode apoiar o nosso trabalho de diversas formas como:

1. Aproveitar os benefícios do financiamento coletivo

2. Levar nossos guias de viagem no celular

3. Contratar produtos e serviços recomendados através dos links nos artigos. Exemplos e como fazer: alugar veículos, reservar hospedagem e excursões, comprar seguro, chip internacional e moeda estrangeira, entre outros. A venda nos gera uma comissão sem aumentar o valor final, inclusive, repassamos os descontos para você.

A informação foi útil? Talvez queira apoiar e fazer parte da comunidade Territórios!

Compartilhe ideias e converse com outros leitores no grupo no Facebook ou acompanhe no Spotify e grupo de avisos do Whats App.

INICIAL » EXPERIÊNCIAS » INVERNO » Amo fazer no inverno
Roberta Martins

Roberta Martins

Comunicadora, criadora de conteúdo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 14 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e aventura. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta