Quando surgiu a oportunidade de ir a Barbados, apenas me visualizei relaxando naquelas praias paradisíacas sem fazer mais nada… Elas são incríveis mesmo e mostro todas por onde passei aqui no site, contudo a ilha tem tantos atrativos que vale deixar o ócio de lado, pelo menos por algumas horas do dia.

Fazer um tour guiado em uma fábrica de rum ou uma caverna, explorar o fundo do mar a bordo de um submarino, circular pelo mercado de peixes, passear por prédios históricos, visitar parques, ir às compras, ver um dos aviões mais rápido do mundo e balançar o esqueleto estão entre as atividades mais procuradas pelos turistas. Algumas são boas alternativas também para aqueles dias de chuva.

Durante os meus nove dias por lá fiz descobertas e também entrei na onda de turista tradicional. Preparei um resumo do que fiz ou pensei em fazer em Barbados, mas faltou tempo.

Alerta! Viajantes estão sujeitos a quarentena entre 2 a 10 dias conforme resultado do teste ao chegar. Veja as exigências aqui.

O texto continua após os serviços recomendados no destino.

Leia todos os artigos sobre Barbados

AGILIZE SUA VIAGEM
Falta reservar hotel? Saiba onde nos hospedamos na ilha

Lembre do seguro viagem! Pegue o cupom de desconto

Leve o chip internacional com Internet desde o Brasil

Dê a volta na ilha de carro

Quer agendar passeios e transfer agora? Use a Get Your Guide ou saiba como funciona

O que fazer em Barbados

Acesso rápido:

  1. Visitar fábrica de rum
  2. Descobrir a história
  3. Entrar em caverna de coral
  4. Caminhar na natureza
  5. Comer lagosta ao som de jazz
  6. Ir ao museu
  7. Ver paisagem rural
  8. Comer peixe voador
  9. Navegar em submarino
  10. Compras

Visitar fábrica de rum

Tour para conhecer a história, o processo de produção e degustar a bebida mais famosa de Barbados, inclusive eles afirmam que o primeiro rum foi criado lá. Mount Gay Rum é a fábrica mais antiga em atividade no Caribe e exibe com o orgulho o desde 1703. O passeio é um programa interessante, mas fiz o tour errado porque não gostei da parte mais esperada – a degustação. A estrutura e explicação são ótimos, não gostei de tomar o rum mesmo. Misturado com outras bebidas e frutas eu adoro, mas não tinha esta opção. Para quem tem o gosto como o meu, a sugestão é o Special Cocktail Tour. E na saída tem a lojinha para comprar bebidas e souvenires.

Todos os runs da marca Mount Gay Rum
A coleção Mount Gay Rum
O que fazer em Barbados: visitar fábrica de rum

Mount Gay Rum fica Spring Garden Highway, St. Michael. Aberta ao público durante a semana das 9h30 às 15h30 com opções de almoço nas terças e sábado e curso de coquetéis nas quartas.

^ Voltar início ^

Chamberlain Bridge
Chamberlain Bridge

Descobrir a história pela arquitetura

Bridgetown e a zona militar Garrison estão repletos de exemplos da arquitetura colonial britânica dos séculos 17, 18 e 19. A capital data de 1628 e o conjunto chamado Historic Bridgetown & its Garrison foi declarado Patrimônio Histórico pela Unesco. As construções bem preservadas são igrejas, museus, forte e casas. Destaque para o prédio do Parlamento e sua torre do relógio; a Sinagoga Nidhe Israel – de 1654, é a sinagoga mais antiga ainda ativa das Américas; a ponte Chamberlain e George Washington Attraction. Apenas caminhei pelo centro histórico de Bridgetown passando em frente sem entrar em nenhuma atração, mas histórias locais sempre me interessam e acho que valeria dedicar mais tempo a algum desses prédios.

A capital Bridgetown fica na região de St. Michael e ao lado encontra-se Garrison, em Christ Church.

^ Voltar início ^

Desbravar Barbados a fundo

Barbados tem um caverna única no Caribe por ter uma origem diferente das outras ilhas. A Harrison’s Cave oferece tours guiados para crianças, aventureiros e para quem não gosta de caminhar. Fiz o de uma hora caminhando e conto neste post.

O que fazer em Barbados: tour em caverna
Caverna de corais

Harrison’s Cave está na parte central da ilha em Welchman Hall, St. Thomas. Funciona diariamente das 9h às 16h e em passeios noturnos conforme a agenda.

^ Voltar início ^

Caminhar na natureza

O país tem vários jardins, reservas e parques exibindo natureza exuberante e desconhecida pelos turistas, cuja tendência acaba sendo sempre ir a praia. Como adoro fotografar pássaros e flores fiquei com vontade de ir a todos, mas acabei conhecendo apenas um e por acaso. Uma entrada chamou a atenção quando estávamos dando a volta na ilha de carro, era o Codrington College (1743). Um colégio rodeado por um lindo jardim tropical onde as famílias bajans e amigos costumam se encontrar nos finais de semana. É silencioso, fica no alto, tem vista para o mar e algumas trilhas para explorar a fauna e flora.

Os pássaros mais comuns por lá
Os pássaros mais comuns por lá

Codrington College tem acesso por carro pela Sargeant Street, Saint John. A entrada é franca, mas pedem doações espontâneas.

^ Voltar início ^

Curtir um show de Jazz

Barbados é mais musical do que eu poderia imaginar, todos os ritmos se misturam e ninguém parece se importar com o volume alto. Por vezes me sentia incomodada, por outras adorava o clima, acho que dependia do estilo da música que estava tocando. Um dos lugares onde fui mais de uma vez e curti foi o Lobster Alive, restaurante de frutos do mar com show de jazz ao vivo. Os músicos são mais velhos e bastante animados, de noite os clientes afastam as mesas e dançam.

O que fazer em Barbados: jazz ao vivo
Jazz ao vivo na tarde de domingo

Lobster Alive fica na beira da praia em Carlisle Bay com shows nas terças das 18h às 21h e aos domingos das 12h às 15h. Para outros shows leia o post do último link ou sobre St. Lawrence Gap.

^ Voltar início ^

Entrar no avião mais rápido do mundo

Barbados era uma das rotas do avião Concorde, considerado o mais rápido do mundo para transporte de civis. Fazia Londres – Barbados em menos de quatro horas. Depois do seu ultimo voo até a ilha, em 2003, um dos aviões permaneceu e o museu foi criado em um amplo hangar. Todos que foram recomendam pela sensação de voar no luxuoso avião, infelizmente não sobrou tempo para incluir no roteiro

Barbados Concorde fica no Grantley Adams International Airport, Christ Church. O ideal é visitar logo que chega ou antes de partir, devido a localização afastada.

^ Voltar início ^

Ver uma paisagem rural

Descendo a montanha Cherry Tree Hill encontra-se o Morgan Lewis Mill (1747), o moinho de vento mais antigo ainda em funcionamento no Caribe. Serve para moer a cana de açúcar e entra em operação, para demonstração, somente um domingo por mês entre os meses de fevereiro e julho, quando também produz suco de cana. Dentro tem um museu e nos arredores o cenário é rural com rolos de feno e utensílios de campo. É interessante para fotografar, ainda mais com a vista para as praias do leste.

Vista do moinho para o leste
Vista do moinho para o leste
O que fazer em Barbados: visitar um moinho

Morgan Lewis Mill fica em St. Andrew à direita de quem desce a Cherry Tree Hill. O museu abre das 9h às 5h durante a semana.

^ Voltar início ^

Comer peixe voador

Diversos restaurantes oferecem o flying fish (nome local) em diferentes receitas. Contudo, a mais interessante pela variedade, astral e contato com os locais é no Oistins Fish Fry, o mercado de peixes se transforma em grande praça de alimentação uma vez por semana. Os cozinheiros preparam os pratos na sua frente e os preços variam, mas custam menos que os restaurantes tradicionais. Provei e aprovei o flying fish no hambúrguer.

O que fazer em Barbados: comer em feira de peixe

Clique aqui se as imagens não aparecem no seu celular. Será direcionado para site parceiro do Territórios.

Oistins Fish Fry acontece todas as sextas na região de Oistins, Christ Church. Começa ao anoitecer e o povo mais animado continua a noite nos bares ao redor.

^ Voltar início ^

Mergulhar a bordo de um submarino

O passeio mais famoso na ilha é o Atlantis Submarine. Um submarino de verdade com grandes janelas para observar o fundo do mar. No começo só vemos bolhas de ar até que os tons do ambiente vão mudando, todos ficamos azuis, assim como os peixes e a vegetação que começam a surgir pelas escotilhas. Passamos por um naufrágio e alcançamos a profundidade de 40 metros. O passeio é legal e as crianças adoram, mas não deve chegar perto da sensação de mergulhar com cilindro. A lojinha de souvenires tem diversos produtos que dá vontade de comprar, ar condicionado e internet liberada, por isso é bom chegar cedo.

O que fazer em Barbados: andar de submarino

Submarino Atlantis fica nas Docas de Bridgetown. Tem opções noturno e diurno com duração de 40 minutos a uma hora e meia. Fiz pela manhã.

^ Voltar início ^

Fazer compras

A parte que eu sempre deixo por último em qualquer viagem. Atração apenas se sobrou tempo e dinheiro, exatamente nesta ordem, e não foi o caso em Barbados. Mas conversei com pessoas que moram na ilha ou tiveram a experiência e repasso. A dica é adquirir artesanato, joias, tabaco, bebidas e roupas de marcas famosas. A maior vantagem de comprar em Barbados é turista não pagar imposto, basta apresentar o passaporte no momento da compra sem burocracias ou devoluções no aeroporto.

Li algumas resenhas onde viajantes recomendam levar biquínis porque os de lá são enormes e feios. Isabelle Baulu é estilista de roupas de banho por lá e discorda totalmente. Ela afirma que o look dos biquínis é global, diferente dos brasileiros, mas com estilo. E eu acredito, afinal inspiração não falta para quem mora em Barbados.

Entre Bridgetown e Holetown, no lado oeste, ficam as principais lojas, sendo Holetown para quem procura luxo. O maior centro de venda de artesanato do Caribe é o Pelican Craft Center, são lojas em casinhas coloridas à beira-mar com entrada pela Princess Alice Hwy, Bridgetown. Quem se interessou pelos biquínis, a marca da Isabelle é Sea Reinas.

Artesanato
Artesanato

Leia também os textos sobre mergulho com tartarugasroteiros de carro e esportes aquáticos.

Guia 8 noites em Barbados

ROTEIRO PRONTO EM BARBADOS
Para mais informações e ver todo o conteúdo do Barbados organizado para ler quando e onde quiser, compre o Guia 8 noites em Barbados. São 45 páginas com fotos, mapa personalizável, relatos e dicas exclusivas.

Essa viagem foi parcialmente patrocinada pelo Visite Barbados e alguns serviços no destino.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Para quem chegou até aqui, agradecemos por valorizar o nosso conteúdo. Diferente das grandes corporações de mídia, Territórios é independente e se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e ouvintes. Você pode apoiar o nosso trabalho de diversas formas como:

1. Aproveitar os benefícios do financiamento coletivo

2. Levar nossos guias de viagem no celular

3. Contratar produtos e serviços recomendados através dos links nos artigos. Exemplos e como fazer: alugar veículos, reservar hospedagem e excursões, comprar seguro, chip internacional e moeda estrangeira, entre outros. A venda nos gera uma comissão sem aumentar o valor final, inclusive, repassamos os descontos para você.

A informação foi útil? Talvez queira apoiar e fazer parte da comunidade Territórios!

Compartilhe ideias e converse com outros leitores no grupo no Facebook ou acompanhe no Spotify e grupo de avisos do Whats App.

Você está em INICIAL » BARBADOS » Barbados além das praias – 10 atrações
Author Roberta Martins

Comunicadora, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 15 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e aventura. Saiba mais na página da autora. Encontre no Instagram

Deixe seu recado, escreva algo