Um fim de semana em Bogotá


Para comemorar meu aniversário, resolvi que o melhor presente seria uma viagem. Como tenho um projeto para conhecer toda a América, acabei decidindo por Bogotá, na Colômbia. Ainda não conhecia e nem era tão distante para quem só tinha o final de semana para viajar.

O texto continua após os serviços recomendados no destino.

Leia todos os artigos sobre o país

Gostaria de reservar hotel? Veja os visitados na Colômbia

Precisa de seguro viagem? Saiba como comprar online

Leve o chip internacional com Internet desde o Brasil

Agende passeios e transfer agora na Get Your Guide ou saiba como funciona

Bogotá

Por Raul Botelho ℹ︎

As opiniões expressas pelos viajantes colaboradores são próprias e nem sempre refletem o pensamento do Territórios. Conheça o autor ou deixe um comentário.

Acesso rápido: Dicas | O que fazer | Tours | Fotos | Por onde começar

Dicas para visitar Bogotá

Cores de Bogotá
Cores de Bogotá

Partindo de São Paulo, em apenas seis horas estava aterrissando no Aeroporto Internacional El Dorado, porta de entrada principal da Colômbia. A imigração foi tranquila sem muitas perguntas, aliás, como em toda a América Latina, o brasileiro é muito bem vindo e a recepção costuma ser agradável.

Para ir até a cidade, o trajeto leva mais ou menos 40 minutos de táxi e nessa hora já percebemos como o trânsito de Bogotá não é nada agradável, pois são quase 10 milhões de habitantes e não tem metrô. O único facilitador é um sistema de ônibus parecido com o fura-fila paulistano chamado Trans-milênio, o restante são ônibus normais mesmo, muitos táxis e carros particulares.

Bogotá vista de Montserrate
Bogotá vista de Montserrate
Zona Rosa
Zona Rosa

Para se hospedar o mais indicado é ficar na Zona Rosa, também conhecida como zona T (região norte de Bogotá), ou na região da Candelária que é a parte central da cidade e em ambas pode-se andar tranquilo, pois a segurança é muito boa. Na Zona Rosa existem várias opções de diversão como bares e restaurantes, além de ruas arborizadas e gostosas de caminhar. Lá estão situadas as melhores lojas e os centros de compras.

O dinheiro utilizado é o Peso Colombiano e a primeira dica é trocar apenas o necessário no aeroporto, pois o câmbio na cidade é mais atrativo.

O táxi do aeroporto até a Zona Rosa (local da minha hospedagem) custou 40 mil pesos em 2014.

Hotel em Bogotá: achei o Hotel B3 muito legal e bem localizado. Tem um café da manhã top e um pessoal muito atencioso. RESERVE AQUI

Espelho no cem Bogotá
Palácio Presidencial

O que fazer em Bogotá no fim de semana

Pra começar o passeio, o melhor é ir para a região da Candelária, onde ficam a parte histórica e os museus. Tem a praça Bolívar, o Palácio do governo e a Catedral Primada Da Colômbia que tem uma elegante arquitetura e possui criptas das figuras mais importantes do país.

Fundada pelos colonizadores espanhóis em 1538, a Catedral originou-se de uma pequena capela com telhado de palha e foi reconstruída várias vezes por conta de fundações frágeis e danos causados pelos terremotos. Ao observar a fachada neoclássica do século 19 é difícil imaginar quanta história existe neste local.

Catedral Primada da Colômbia
Catedral Primada da Colômbia
Fachada Museo Botero
Fachada Museo Botero

Saindo da Catedral, pode-se caminhar pela região. Além de bastante segura é linda por causa das muitas construções antigas bem conservadas. Podemos facilmente localizar o Museu Botero que conta com uma boa parte da coleção de obras do renomado artista Colombiano Fernando Botero. Foi inaugurado no ano 2000, quando o próprio Fernando Botero doou uma coleção de mais de 200 obras dele e de outros artistas internacionais como Salvador Dali, Pablo Picasso e Renoir, entre outros. Só a visita a este museu, para mim, já valeu a viagem, pois é muito bonito e bem organizado.

Dividindo o prédio com o Museu Botero, existe a Casa da Moeda que conta um pouco da história do dinheiro local. Tem muitos maquinários antigos interessantes de se ver.

O próximo destino foi o Museu do Oro, considerado o maior museu da história do Ouro e o principal do mundo nesta área. Foi fundado em 1939 e seu acervo é constituído de trabalhos pré-Colombianos que utilizam como matéria prima o ouro da região. Vale a visita pela originalidade e pelo contexto histórico único. 

CONTRATE PASSEIO A PÉ COM MUSEU DO ORO

Interior do Museo do Oro
Interior do Museo do Oro

Cerro Monserrate

Outro passeio imperdível é visitar o Cerro Monserrate, localizado a 3.200 metros de altitude de onde pode-se avistar a cidade toda do alto. Para subir paga-se o equivalente a 40 reais podendo optar pelo teleférico (mais emocionante) ou pelo funicular. O legal é poder subir por um e descer pelo outro. Para chegar lá, o mais fácil é pegar um táxi na região da Candelária, pois a base do Cerro fica bem próxima a esta região.

Como Bogotá já é uma cidade com ar mais rarefeito em função da altitude, no alto do cerro essa sensação fica ainda mais acentuada. Por isso aconselho a fazer este passeio no segundo dia quando o corpo já começa a se acostumar um pouco mais com a altitude.

No topo do Cerro Monserrate
No topo do Cerro Monserrate

Tours e experiências

Clique aqui se as imagens não aparecem no seu celular. Será direcionado para site parceiro do Territórios.

^ Voltar início ^

Para curtir a noite

Para curtir a noite de Bogotá, com bons restaurantes e alguns bares/baladas, o caminho é o mesmo da hospedagem. Quase todos os bons endereços da noite ficam na Zona Rosa ou Zona T.

Subindo no Cerro de San Cristóbal+ Feriado no Chile também vale

Catedral de Sal em Zipáquira

Antes de ir a Bogotá, tinha ouvido falar na Catedral De Sal, uma igreja localizada numa cidade próxima chamada Zipáquira. Fica dentro de uma mina de Sal e, é claro que depois de ver algumas fotos, fui conferir pessoalmente no Domingo de manhã.

Catedral do Sal
Catedral do Sal

O tempo para ir até lá varia, pois dá pra ir de táxi ou de ônibus e, é claro, o dinheiro gasto também varia. Acabei optando pelo táxi pelo pouco tempo e não queria correr o risco de perder meu voo que saia no começo da noite.

Partimos do hotel as 8:30h e uma hora depois já estava na porta do parque da Mina. Onde foi montada uma estrutura turística com praça de alimentação e até parede de escalada para crianças.

A visita é guiada. Dura em torno de uma hora e o roteiro foi montado de forma a seguir a peregrinação de Jesus até o Calvário da Cruz. A cada passagem a cruz que a simboliza está um pouco mais enterrada na terra, até chegarmos ao ápice da visita – a nave da catedral.

O que impressiona é a grandiosidade da mina. Também o jogo de luzes colocado junto com alguns hinos religiosos dando ao local um sentimento de meditação obrigatória.

Depois desta parte, o passeio acaba num corredor tradicional de lojinhas de lembranças da visita. O guia se despede deixando os visitantes a vontade para explorar novamente o trecho, caso queiram. Eu acabei refazendo todo o caminho para tirar fotos melhores do local. O passeio todo incluindo uma passada rápida no centro de Zipaquirá e a volta ao hotel levou 4 horas e meia.

Catedral de Sal
Catedral de Sal
Catedral de Sal
Catedral de Sal
 Interior da Catedral do Sal
Interior da Catedral do Sal

Claro que ainda dava para explorar mais a região, mas para um fim de semana de Sexta, Sábado e Domingo, valeu muito a pena.

Veja mais fotos de Bogotá:
BogotáBogotáBogotáBogotáBogotáBogotáBogotáBogotáBogotáBogotáMuseu do OroBogotá

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Para quem chegou até aqui, agradecemos por valorizar o nosso conteúdo. Diferente das grandes corporações de mídia, Territórios é independente e se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e ouvintes. Você pode apoiar o nosso trabalho de diversas formas como:

1. Aproveitar os benefícios do financiamento coletivo

2. Levar nossos guias de viagem no celular

3. Contratar produtos e serviços recomendados através dos links nos artigos. Exemplos e como fazer: alugar veículos, reservar hospedagem e excursões, comprar seguro, chip internacional e moeda estrangeira, entre outros. A venda nos gera uma comissão sem aumentar o valor final, inclusive, repassamos os descontos para você.

A informação foi útil? Talvez queira apoiar e fazer parte da comunidade Territórios!

Compartilhe ideias e converse com outros leitores no grupo no Facebook ou acompanhe no Spotify e grupo de avisos do Whats App.

Por onde começar a planejar a viagem

  1. Se já sabe, se inscreva dizendo para onde será a próxima viagem e receba dicas exclusivas por e-mail.
  2. Quando a data estiver definida, pesquise as passagens áreas ou aluguel de carro. Mas antes de finalizar a compra, faça o seguro viagem quase simultaneamente para ter eventuais cancelamentos cobertos, além de assistência médica e perda de bagagem.
    2.1 Avalie levar chip de celular e vá comprando a moeda aos poucos.
  3. Então monte o roteiro e vá fazendo as reservas de hospedagem e passeios conforme o tempo disponível.

A seguir deixo mais links sobre essa mesma região ou experiência.

^ Voltar início ^

Você está em INICIAL » COLÔMBIA » BOGOTÁ » Um fim de semana em Bogotá
Raul Botelho

Apesar de ser nascido em uma cidade pequena, no interior do estado de São Paulo, tive a oportunidade de conhecer várias cidades ainda muito novo, pois meu pai era motorista de caminhão e eu sempre aproveitava pra viajar junto, quando possível. Hoje percebo que foi nessa época, ainda criança que descobri a paixão por viagens, por novos lugares, novas pessoas e diferentes costumes. | Siga no Instagram

1 Comentário

Deixe seu recado, escreva algo