Viajar ao Japão tem uma peculiaridade intrínseca aos países não-ocidentais: perder qualquer parâmetro de cultura e comportamento. Tudo bem que a globalização equiparou algumas diferenças há alguns anos, mas ainda assim o choque cultural é inevitável logo que se chega ao país do sol nascente. Conto as minhas impressões de Tokyo e o que ver por lá.

Read in English

Atenção! Turistas provenientes do Brasil estão proibidos de entrar no Japão até abril de 2021. 

Nota do editor: Este não é o melhor momento de viajar para fora do Brasil, mas pode ser agradável planejar uma viagem futura ou aprender algo lendo nossas experiências. Continue conosco!

Por Daniella Franco ℹ︎

As opiniões expressas pelos viajantes colaboradores são próprias e nem sempre refletem o pensamento do Territórios. Conheça a autora ou deixe um comentário.

Acesso rápido: Impressões | O que fazer | Tours | Dicas | Por onde começar

Educação

Palavras em japonês
Palavras

Entre as diversas diferenças, as que mais me atraíram a atenção estão os hábitos de educação e convivialidade. Os japoneses são, em geral, muito prestativos e extremamente educados; a expressão que mais se ouve é arigato gozaimasu (muito obrigada). Por sinal, um francês que conheci por lá e que mora no Japão há 12 anos disse acreditar que a cultura japonesa é a última a manter a prioridade dos fortes laços de respeito entre as pessoas. Mas a gente se engana facilmente porque é difícil saber o que eles realmente pensam. Mesmo as reclamações são feitas sob sorrisos e desculpas.

ENCONTRE HOTEL NA CIDADE

Templo Tsurugaoka em Tokyo
Templo Tsurugaoka

Demonstrações de afeto não são muito comuns; os casais evitam o contato físico em público. O que não significa que eles sejam frios – bem pelo contrário – costumam oferecer ajuda sem serem solicitados e são capazes de se reorganizar nos assentos do transporte comum simplesmente para que um casal se sente lado-a-lado.

Além disso, tudo segue estritamente uma ordem, até os pedestres se movimentam organizadamente pelas ruas e no sentido oposto dos ocidentais (a ida pelo lado esquerdo e a vinda pelo direito). Não tente andar fora dessa ordem para não correr o risco de ser arrastado pela multidão.

Interior do Templo de Kannon, em Tokyo
Interior do Templo de Kannon
Um cardápio em Kamakura
Um cardápio em Kamakura

A religião em Tokyo

Outra grande disparidade é a religião – o que dificulta a noção dos limites da sacralidade e o significado de tantas entidades budistas. Sem falar, claro, que a língua cria todos os empecilhos para a comunicação e mesmo para a locomoção (é complicado saber se a direção dentro do metrô é a correta). Por sorte, os japoneses, especialmente os mais jovens, se viram bem em inglês e estão sempre prestes a socorrer os turistas perdidos. No caso de desespero, a língua dos sinais é universal e funciona sempre bem.

Agora imagine todas essas diferenças e inversões de valores numa cidade como Tokyo, que congrega tradição e modernidade, o milenar e o high tech, onde os kimonos andam paralelamente às lolitas góticas e onde ao lado de um arranha-céu sempre tem um templo. Sim, o Japão é uma experiência para colorir os olhos e enriquecer a mente.

A cidade  é uma festa! Saiba o que fazer em Tokyo

Pagoda de Asakusa
Pagoda de Asakusa

Asakusa

Um bairro tradicionalíssimo de Tokyo com muitos templos e pagodas que não podem deixar de serem vistos se você passar por Tokyo. Asakusa também tem um mercado bem famoso onde é possível encontrar desde especiarias culinárias até kimonos, porcelanas e bibelôs.

Kamakura

Fica na periferia de Tokyo e tem dezenas de templos, um mais bonito e interessante que o outro. É preciso ter pernas de ferro para conhecer todos. Também vale a pena se aventurar pelos restaurantes típicos do local, mesmo que nem todos falem inglês por lá. Aliás, até hoje, não sei direito o que comi (melhor nem saber) – dizem que a ignorância é o caminho da felicidade.  A grande atração do local é o Buda Gigante. Se o tempo ajudar, aproveite para esticar até as prainhas das cercanias.

Mercado de Asakusa
Mercado de Asakusa
Templo Kencho-ji em Tokyo
Templo Kencho-ji
Harajuku
Harajuku

Rua Takeshita Dori

É lugar da moda underground e jovem de Tokyo. Nesta rua, especialmente, é possível encontrar peças únicas, entre roupas e acessórios que variam do fruit ao gótico. Em algumas lojas, roupas e calçados podem ser personalizados.

Shibuya

O maior cruzamento do mundo. Para quem curte tomar um banho de povo, vale a pena presenciar. É legal também subir na Starbucks da esquina para olhar a muvuca de cima. É em Shibuya que fica o monumento do Cachorro Hachiko, uma história de fidelidade entre animal e dono da qual os japoneses se orgulham.

Shibuya, o cruzamento mais famoso do mundo fica em Tokyo
Shibuya

Kiddy Land

Uma loja que comporta todo o tipo de brinquedo imaginável e que dedica alguns de seus vários andares a famosos personagens infantis, como Hello Kitty, Snoopy, e os personagens do diretor de cinema Hayao Miyazaki (Totoro, Ponyo, etc).

Museu Ghibbli

Museu do diretor de cinema Hayo Miyazaki. Recria alguns ambientes de trabalho do diretor e sua equipe e mostra detalhes de suas realizações e de seus personagens. No pequeno cinema do museu, podemos assistir a algumas produções inéditas do diretor.

Robô guardião no Museu Ghibbli, em Tokyo
Robô guardião no Museu Ghibbli
Totoro na recepção do Museu Ghibbli
Totoro na recepção do Museu Ghibbli

Palácio Imperial

Precisa ser reservado com muita antecedência (o número de entradas é extremamente limitado) e não está sempre aberto ao público. Dizem que é imperdível – e quem conseguir entrar me conta como é nos comentários.

Kabuki

O tradicional e célebre teatro japonês, é bem interessante de assistir. Também precisa ser reservado com antecedência se você quiser sentar e precisar das áudio-guias de tradução. Os ingressos são vendidos por atos e as peças acontecem o dia inteiro.

Teatro Kabuki de Tokyo
Teatro Kabuki

Sony Building

Para quem quer saber das mais recentes novidades eletrônicas e os lançamentos cibernéticos em primeira mão. Aliás, para os geeks de plantão, Tokyo é a meca. Equipamentos de informática e eletrônicos ainda inéditos no Brasil podem ser encontrados por bons preços e seminovos nas lojas de revenda de equipamentos usados.

Pavilhão de Ouro é famoso em Kyoto+ Aproveite para conhecer Kyoto

^ Voltar início ^

Tours e experiências em Tokyo

Clique aqui se as imagens não aparecem no seu celular. Será direcionado para site parceiro do Territórios.

Tome Nota Tokyo

Comidinhas bonitinhas...
Comidinhas bonitinhas…
...misteriosas do restaurante escondido
…misteriosas do restaurante escondido
Umeshu
Umeshu

Comer: Comida japonesa não se restringe ao sushi, mas se você curte esse gênero de alimentação, aproveite. Experimente ir nos restaurantes menos turísticos próximos ao porto de Tokyo que são mais em conta e apresentam mais variedade. No bairro de Asakusa estão os ramens (as sopas japonesas) mais célebres de Tokyo. Para quem se habilita a pagar bem por um bom restaurante, experimente o churrasco japonês (a carne é muito macia, vem em finas fatias e é assada numa chapa, na mesa mesmo) ou o chabu-chabu, onde cada um cozinha seus próprios alimentos (entre carnes e legumes) num recipiente de cerâmica também na própria mesa.

Ebisu Garden Place
Ebisu Garden Place

Beber: O sake é a cachaça dos japoneses e não tem lá muito sabor, mas é sempre legal experimentar. A grande pedida é o umeshu, um vinho de ameixa que é uma delícia. A cerveja japonesa lembra muito a brasileira, é bem levinha e combina bem com a culinária deles. Na cervejaria do Ebisu Garden Place, uma saborosa cerveja japonesa de limão pode ser apreciada. O ritual do chá verde acontece em algumas casas especializadas em chá e é bem interessante para quem curte a cultura oriental.

Noite: Os japoneses emendam os happpy hours às festas em Ghinza, o bairro boêmio de Tokyo.

Barris de sake em Kamkura, na periferia de Tokyo
Barris de sake em Kamkura

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Para quem chegou até aqui, agradecemos por valorizar o nosso conteúdo. Diferente das grandes corporações de mídia, Territórios é independente e se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e ouvintes. Você pode apoiar o nosso trabalho de diversas formas como:

1. Aproveitar os benefícios do financiamento coletivo

2. Levar nossos guias de viagem no celular

3. Contratar produtos e serviços recomendados através dos links nos artigos. Exemplos e como fazer: alugar veículos, reservar hospedagem e excursões, comprar seguro, chip internacional e moeda estrangeira, entre outros. A venda nos gera uma comissão sem aumentar o valor final, inclusive, repassamos os descontos para você.

A informação foi útil? Talvez queira apoiar e fazer parte da comunidade Territórios!

Compartilhe ideias e converse com outros leitores no grupo no Facebook ou acompanhe no Spotify e grupo de avisos do Whats App.

Por onde começar a planejar a viagem

  1. Se já sabe, se inscreva dizendo para onde será a próxima viagem e receba dicas exclusivas por e-mail.
  2. Quando a data estiver definida, pesquise as passagens áreas ou aluguel de carro. Mas antes de finalizar a compra, faça o seguro viagem quase simultaneamente para ter eventuais cancelamentos cobertos, além de assistência médica e perda de bagagem.
    2.1 Avalie levar chip de celular e vá comprando a moeda aos poucos.
  3. Então monte o roteiro e vá fazendo as reservas de hospedagem e passeios conforme o tempo disponível.

A seguir deixo mais links sobre essa mesma região ou experiência.

^ Voltar início ^

Você está em INICIAL » JAPÃO » TOKYO » Lost in Tokyo

ÁSIA: PAÍSES VISITADOS

dicas da asia por email

O T de madeira é a mascote que viaja com a Roberta em busca de experiências. Já passou por todos os continentes e mostra por aqui cenários e dicas para inspirar a sua viagem. Saiba por onde andou o T. Se gosta das fotos com Tesão, siga @tesaoporviajar no Instagram.

Author Daniella Franco

Jornalista, mestre em Ciências da Informação e Comunicação e mochileira. Há quatorze anos veio estudar e morar na França e desde então seus horizontes tem aumentado cada vez mais. Viajante um tanto atrapalhada, costuma chegar aos destinos sem qualquer roteiro, esquece em casa os endereços dos hotéis onde deve se hospedar, deixa os joelhos nas trilhas, desce as montanhas rolando, leva os piores torrões nas praias e pegou pneumonia fazendo ski. Mas o importante é que sempre volta das viagens com boas historias pra contar. De hotel de luxo a camping, do sofá-cama dos amigos aos albergues da juventude, Daniella descobriu que viajar também é uma arte. | Siga no Instagram

3 Comentários

  1. Olá Daniella, por favor vc tem dica de hospedagem que ficou em Toquio? Se for hostel melhor ainda!
    Obrigado
    Antonio & Ellen

  2. Não sei se entendi errado, mas na duvida…
    Harajuku nao é uma rua, a rua fica em Harajuku e é chamada de Takeshita Dori ^^
    E uma outra atraçao de Shibuya é o 109, que shopping maravilhoso *-*

    • Daniella Franco Responder

      Você tem razão, Jonatas. Harajuku é a área próxima à estação de metrô Harajuku. A rua a qual eu me refiro é mesmo a Takeshita Dori. Obrigada pela correção!

Deixe seu recado, escreva algo