Safari a cavalo


Fazer um safari no Quênia foi uma das experiências mais selvagens que já tive. E como lá tudo é mágico*, porque não chegar ainda mais perto e viver esta emoção montada em um cavalo? Conto como foi fazer safari a cavalo.

O texto continua após os serviços recomendados no destino.

Leia todos os artigos sobre o Quênia

AGILIZE SUA VIAGEM
Precisa de seguro viagem? Pegue o cupom de desconto

Deseja ficar conectado? Leve o chip internacional com Internet desde o Brasil

Quer agendar passeios e transfer agora? Use a Get Your Guide ou saiba como funciona

Rose
Rose

Rose foi a minha companheira durante noventa minutos pela savana do Lewa. Uma unidade de conservação onde vive o maior número de rinocerontes do mundo, além de todos os animais mais conhecidos da África. Entretanto, cavalos tem um instinto apurado, percebem de longe a presença dos bichos mais perigosos e desviam o caminho antes de percebermos. Envolvida no clima, confiei nesta história e fui curtir a adrenalina da forma mais intensa.

O preparo começou na noite anterior, foi preciso preencher um extenso questionário sobre minha estatura, experiência com cavalos, comportamentos, liderança…, além de assinar que estava ciente dos riscos do passeio à minha existência. O cavalo mais adequado para cada um, o guia que acompanha e a intensidade da atividade são definidos conforme as respostas e, como tudo era novidade para a maioria do grupo, optamos todos pelo estilo cavalgada em fila seguindo um líder.

Parte do grupo
Parte do grupo

A minha égua era alta, charmosa e com a aparência muito saudável. Rose me levou com elegância sem nunca sair da fila, apesar de insistir em querer ficar atrás do líder e não na terceira posição. Deveria ser o guia, Anne e o outros quatro aventureiros atrás de mim.

O guia e Anne na minha frente
O guia e Anne na minha frente

Como foi o safari a cavalo

Após nos afastarmos das cocheiras, bate aquele medo quando passamos pela porteira e a área cercada fica para trás. Poucas horas antes estava me sentido tão segura sentada em um jeep vendo elefantes enormes e cheetas naquela mesma região e, naquele momento, só poderia contar com a minha habilidade com cavalos se o imprevisto surgisse. Não tenho prática como algumas pessoas da minha família, mas tenho alguma experiência, pelo menos no pampa gaúcho.

O guia, um formigueiro gigante e a paisagem
O guia, um formigueiro gigante e a paisagem

O receio logo deu lugar a euforia vendo aquela paisagem e sentindo a real proximidade com zebras, gazelas e macacos. Nunca me senti realmente segura, mas a adrenalina trouxe a coragem para segurar as rédeas com uma só mão e sair tirando fotos sem regular nada e até de costas. O resultado ilustra este post, mas assustada não consegui registrar quando um impala cruzou a minha frente pulando uns dois metros de altura e sumiu na maior velocidade. Ele se assustou com a nossa presença, imagina se fosse um leopardo?!!

Buscando os melhores ângulos sem olhar
Buscando os melhores ângulos sem olhar

Todo o restante do passeio foi muito tranquilo, passamos por uma família de babuínos com um bebê, formigueiros gigantes e vários pássaros cintilantes. Algumas árvores tinham o tronco envolto com arame, então o guia explicou ser para a conservação delas, pois os elefantes insistem em derrubá-las e desistem quando sentem o arame.

As maravilhosas zebras ficavam só nos observando
As maravilhosas zebras ficavam só nos observando
receba dicas da áfrica por e-mail

Passeio aprovado! Na próxima vez vou escolher a opção cavalo líder e torcer para não aparecer nenhum leão na minha frente.

Também fiz safari de balão e no mar e em breve conto os detalhes. Por enquanto veja a lista das 17 coisas incríveis que fiz no Quênia.

*O slogan do órgão de turismo do país é Magical Kenya.

Tome Nota

O passeio é arranjado e oferecido aos hospedes do Lewa Safari Camp por U$ 55 a hora. Leia a minha resenha sobre a hospedagem.

Este passeio é uma das 17 coisas para fazer antes de morrer que fiz no Quênia. 

Me equilibrando com uma mão

Veja mais fotos do safari a cavalo no Quênia:

Leia todos os posts sobre os 10 dias no Quênia:

Brunch na savana africana

Luxo e vista no Hemingway’s Nairóbi

Meu encontro com os Masais

Sea Safari e meus dias em Diani Beach (vídeo)

Acampamento luxuoso e selvagem no Olare Mara Kempinski

Dois dias na capital do Quênia

Um dia no Kisite Marine Reserve

O paraíso no Quênia (vídeo)

Babies africanos

Orfanato de elefantes (vídeo)

Voo de balão

17 coisas pra fazer antes de morrer

Camaleão

 Dia Mundial do Leão

Esta viagem foi patrocinada pelo Kenya Tourism Board.

Fotos de Roberta Martins e Alvaro Prange.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Para quem chegou até aqui, agradecemos por valorizar o nosso conteúdo. Diferente das grandes corporações de mídia, Territórios é independente e se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e ouvintes. Você pode apoiar o nosso trabalho de diversas formas como:

1. Aproveitar os benefícios do financiamento coletivo

2. Levar nossos guias de viagem no celular

3. Contratar produtos e serviços recomendados através dos links nos artigos. Exemplos e como fazer: alugar veículos, reservar hospedagem e excursões, comprar seguro, chip internacional e moeda estrangeira, entre outros. A venda nos gera uma comissão sem aumentar o valor final, inclusive, repassamos os descontos para você.

A informação foi útil? Talvez queira apoiar e fazer parte da comunidade Territórios!

Compartilhe ideias e converse com outros leitores no grupo no Facebook ou acompanhe no Spotify e grupo de avisos do Whats App.

Você está em INICIAL » EXPERIÊNCIAS » SAFARI » Safari a cavalo
Roberta Martins

Comunicadora, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 15 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e aventura. Saiba mais na página da autora. Encontre no Instagram

4 Comentários

  1. Olá, tenho um blog sobre cavalos e gostaria de saber se posso publicar esse seu post no meu blog.
    Claro que com o devido crédito.
    Obrigada e aguardo seu retorno.

    • Olá Juliana, obrigada por perguntar. Mas se fizer isto tanto o meu quanto o seu blog serão prejudicados nas pesquisas do Google, então a resposta é não. Pois um blog fora do Google é um blog morto e não queremos isto, certo?

      O Google está cada vez mais crítico quanto a conteúdo original e pune conteúdo duplicado na internet deixando de exibir nas pesquisas. Minha sugestão é você escrever do seu jeito que existe esta experiência e colocar o link para este post como complemento. Pode usar as fotos, se quiser, desde que não corte a marca d’água e dê os créditos.

Deixe seu recado, escreva algo

Chile aberto para brasileiros Rotas para voar no RS agosto