Gotemburgo vista do alto

Gotemburgo de dia e a noite


Cheguei a Gotemburgo sem expectativas por falta de tempo em pesquisar o destino e adorei o vivido por lá. Fui participar de um congresso de turismo de aventura e deixei dois dias inteiros para explorar a cidade enquanto os outros cinco foram de aprendizado intenso e escapadas noturnas entre um pub e outro com os colegas mais animados.

O texto continua após os serviços recomendados no destino.

Seguro viagem é obrigatório na Europa: saiba como comprar online

Levei o chip internacional com Internet desde o Brasil e funcionou bem

Quer agendar passeios e transfer agora? Use a Get Your Guide ou saiba como funciona

Gotemburgo

Acesso rápido: O que fazer | Onde dormir | Tours | Transporte | Onde comer |

A segunda cidade da Suécia em população, tem o maior porto da Escandinávia e está prestes a celebrar 400 anos de história em 2021. Antes disso, Kattegat (um braço do mar do norte) era a terra dos Vikings e as ilhas de rochas são os resquícios geológicos de quando os continentes se separaram na Pangea. Hoje é uma das cidades mais sustentáveis do mundo* com títulos como Europe Smart Tourism 2020. Gotemburgo oferece tudo o que se espera de uma cidade cosmopolita com a facilidade de poder ir a pé ou pegar um bom transporte público até um ambiente natural na costa rochosa, ou florestas densas. 

É uma cidade universitária e portuária estrategicamente localizada entre Oslo, capital da Noruega, e Copenhagen, capital da Dinamarca, além de ter um canal conectado com  Estocolmo. Razões atuais e antigas de sempre ter sido internacional com vida cultural agitada, forte comércio e industria. Os canais lembram Amsterdam porque os fundadores foram Holandeses e a região também tinha problemas com alagamentos. 

* Conforme Global Destination Sustainability Index (2016, 2017, 2018 e 2019).

Jardim Botânico de Gotemburgo
Hotel para insetos é comum por todo o país

O que fazer em Gotemburgo no verão

Há muito o que fazer em Gotemburgo e três dias seria o mínimo para estas sugestões, quem dispõem de mais tempo, certamente, preenche uma semana de atividades interessantes. Clique no seu interesse ou continue a leitura.

  1. Caminhar por Avenyn, Haga, Riverside e os parques urbanos
  2. Comer frutos do mar ou slow food com vista
  3. Explorar a costa pré-histórica em caiaque
  4. Aproveitar a noite em Gotemburgo
  5. Desfrutar o fika
  6. Fazer um cruzeiro pelo rio Gota ou seus canais
  7. Visitar museus
  8. Pedalar pela zona rural
Vista para Gotemburgo do barco
Vista para Gotemburgo do rio Gota

Caminhar por Avenyn, Haga, Riverside e os parques urbanos 

Popularmente chamada de Avenyn, Kungsportsavenyn é a avenida mais importante da cidade repleta de comércio, trams e pessoas desde o centro até a praça Götaplatsen. As paradas podem incluir visita ao Konstmuseum entre outros centros culturais, um fika no Trädgardsföreningen e observação dos prédios antigos com fachadas decoradas.

Margeando o canal Stora Hamnkanalen, a rua Nora Hamngatan leva ao rio Gota e é chamada  Riverside a partir do Stadsmuseum (o museu da cidade). A região é uma mistura de porto com zona industrial e arte urbana. Há espaços com paisagismo, espreguiçadeiras e guarda-sol pra relaxar, além de da Gothenburg Opera. Vale desviar o caminho cruzando as pontes de ferro para caminhar entre os canais. Vai encontrar a catedral Domkyrkan, o mercado de antiguidades Antikhallarna e o de peixes Feskekörka.

Área de descanso no rio Gota
Margens do rio Gota
Canal em Gotemburgo
Canal Stora Hamnkanalen

Ao sul fica o charmoso distrito de Haga, o primeiro subúrbio de Gotemburgo foi construído por ordem da Rainha Kristina no século XVII, marginalizado no século XIX e revitalizado na década de 1980. Os prédios têm construção única em pedra ou tijolo, para evitar incêndios, e a parte externa de madeira. Atualmente abrigam cafés, lojas descoladas e galerias. Entrei na rua Haga Nygatan por acaso em um sábado pela manhã e me deparei com o ponto de encontro dos locais e turistas na rua fechada para carros. Carrinhos e estandes vendiam antiguidades ou doces e muitos restaurantes serviam mesas lotadas de gente descontraída curtindo o fim de semana. Procure pela sinalização Haga entre as ruas  Linnégatan e Språngkullsgatan. Ali perto fica o Skansparken, uma colina com uma fortificação no topo.

Os parques urbanos de Gotemburgo

Nos primeiros dias fiquei hospedada ao lado do Trädgardsföreningen e no último colada ao Slottsskogen, os dois parques mais famosos de Gotemburgo. Portanto, eram minhas pausas frequentes para descanso ou caminho verde entre um ponto turístico e outro.

Trädgardsföreningen é um jardim ornamental criado pela Garden Society of Gothenburg no século XIX. Abriga um dos principais roseirais do mundo, estufa inspirada no Palácio de Cristal de Londres e espaços para relaxar nas margens do canal Vallgraven. Opção parecida em tamanho menor é o Kungsportsplatsen, do outro lado do canal com um campo de golfe.

Estufa no Trädgardsföreningen
Estufa no Trädgardsföreningen

Slottsskogen é o maior parque da cidade com 140 hectares intercalando florestas com jardins planejados com lagos, um mini labirinto e até zoológico com animais da região. Os locais fazem piquenique, praticam esportes (como a caminhada nórdica) e levam crianças e cachorros para passear. Atravessando a rodovia (quando a cidade acaba), fica o belo Botanical Gardens. Um dos maiores jardins botânicos da Europa com 16.000 plantas do mundo todo, incluindo espécies extintas no seu local de origem. Ao sul do jardim botânico começa a floresta selvagem Änggårdsbergen com várias trilhas.

Jardim Botânico de Gotemburgo
Jardim Botânico de Gotemburgo
receba dicas da Europa por e-mail
Parque Slottsskogen
Parque Slottsskogen
Casas de madeira no caminho para o Botanical Garden
O caminho a pé para o jardim botânico passa por um bairro cheio de casas de madeira com jardim

Os destaques do Skansparken são a vista 360 graus que vale o esforço na subida e Skansen Kronan. A fortificação construída em 1698 para se proteger dos dinamarqueses, no século XIX virou prisão de guerra e hoje é uma cafeteria.

Skansen Kronan no parque Skansparken
Skansen Kronan no parque Skansparken

Quem viaja com crianças, deve incluir Liseberg, o maior parque de diversões da Escandinávia funciona há quase cem anos no verão e no Natal. Deixei para quando voltar no inverno.

Comer frutos do mar ou slow food com vista

Com uma costa do gelado mar do norte de um lado e florestas do outro, comer produtos frescos e locais é atração turística. Ainda mais com tantos estabelecimentos com arquitetura pensada em comer bem apreciando a paisagem confortavelmente protegido do frio e do vento. Assim foi nos lugares a seguir, sendo os localizados em Tjörn experimentados durante um bate e volta a Costa Bohuslän:

Feskekörka
Mercado de peixes com arquitetura neo gótica
  • Feskekörka significa igreja do peixe em sueco, o nome é por lembrar a arquitetura neo gótica comum em igrejas nórdicas, mas desde sempre foi um mercado de peixes. Local para comprar ingredientes frescos ou comer ali mesmo em frente ao canal. Dizem ser Gabriel o melhor restaurante de frutos do mar da cidade, fica no segundo andar.
  • Rosenkaféet é uma cafeteria tradicional em frente ao roseiral do parque Trädgardsföreningen. Onde tomei um café da manhã delicioso com produtos típicos da West Sweden.
  • Vatten Restaurang & Kafé serve pratos requintados e lanches preparados em cozinha aberta. O pé direito alto com paredes de vidro amplia o ambiente com vista para o mar e as rochas.
  • Lottas Bak & Form é um dos vários lugares com vista para um fika na West Sweden. A proprietária era uma designer que aplica todo o seu conhecimento estético na decoração e produção dos pães. Sempre priorizando produtos locais e orgânicos. 
  • Saluhallen é o mercado central de Gotemburgo para encontrar de tudo um pouco com preços acessíveis.

Peque o endereços no mapa.

Uma opção que adoraria ter feito se houvesse mais tempo é o sea food safari, alguns amigos foram e pescaram os ingredientes do seu almoço direto na fonte, além de observarem a vida marinha e a rotina dos locais. Camarão, carangueijo, lagostas, mexilhões e ostras são os destaques e um sempre será a comida da estação.

Para orçamentos apertados

Tirando os pães e frutas da estação, experimentar a comida local pode ser bem caro em tempos de real desvalorizado. Portanto, deixo uma lista de onde comer pagando pouco em Gotemburgo. Mas aviso, os estabelecimentos acabam sendo fast food de receitas importadas. 

Clique para ver a lista dos restaurantes

  • Vapiano é uma rede italiana como se fosse uma praça de alimentação e cada um escolhe em qual banca comer. Bem servido e saboroso.
    Onde: Östra Hamngatan, 35
  • Zaffran-A Taste of Persia comida farta e deliciosa para dividir com os amigos.
    Onde: Stora Nygatan, 3A
  • Sannegarden Pizzeria é gostosa, simples e com preço ótimo incluindo salada.
    Onde: Skanstorget, 2
  • Yalla Habibi aquele árabe econômico para quem tem fome.
    Onde: Hotellplatsen, 2

Explorar a costa pré-histórica ou os canais em caiaque e bicicleta

Tjorn
Costa de Bohuslän

A costa oeste da Suécia é formada por rochas de granito de 3 bilhões de anos. Elas complementam o belo cenário do mar de Kattegat que pode ser explorado de perto remando e caminhando como fiz no passeio chamado The Swetiest Art Tour. Inclui bicicleta na zona rural e museus na Costa de Bohuslän.

Caiaque e bicicleta são os meios de transporte e lazer mais usados em Gotemburgo, estão por toda parte para alugar por aplicativos ou tours especializados como esse bate e volta a Tjörn. Inclusive, é comum ver pessoas remando em caiaques nos canais no centro da cidade, no rio Gota e também no Arquipélago de Gotemburgo. Esse último não conheci, ficou para uma próxima viagem.

Aproveitar a noite em Gotemburgo

Curti a noite de domingo a sexta e foi muito divertido. Há várias opções de bares animados com música ao vivo ou mais certinhos para confraternizar com os amigos e fazer negócios (lembrando que o congresso de aventura foi o principal motivo da viagem).

O curioso foi ver os estabelecimentos fechando mais tarde conforme o decorrer da semana e eu ser expulsa de todos porque os suecos são rígidos com horários. Então eu saía de um e buscava outro até chegar perto do hotel, afinal, o Irish Embassy Pub sempre era o último a fechar. Nessa busca, caímos na cervejaria Brewers Beer de um inglês que estava colocando a placa de fechado quando tentamos entrar. Ele disse ao olhar nossas caras de turistas desanimados: tudo bem, enquanto deixo o bar pronto para abrir amanhã, vocês bebem algumas rodadas. Rendeu mais de uma hora e algumas coroas suecas no bolso do dono. Beber na Suécia é bem caro e sugiro cautela nos gastos.

Onde ir

Visitei vários e deixo os melhores, a maioria dos bares se concentra no centro, em Haga e em Linné (veja no mapa):

  • Bon Bon Bar onde o esquenta começava após as palestras, pois é o lounge bar do Clarion Post Hotel, local da minha hospedagem.
  • Irish Embassy Pub é típico irlandês com bom rock n’roll ao vivo e comidas em dois endereços. 
  • Brewers Beer é a cervejaria do inglês simpático descrito acima.
  • BrewDog é uma rede internacional de cervejaria artesanal com comidinhas.
  • Hemma hos é um dos bistrôs para comer e beber com estilo. 
  • Cheers Pub & Sport é um dos poucos abertos até 1 hora da manhã durante a semana.
  • Trädgår’n é uma boate enorme no parque Trädgardsföreningen. Vale verificar a programação antes de ir porque a festa era privada para o encerramento do evento.

Desfrutar o fika 

Fika é o verbo para representar um estilo de vida dos suecos. É encontrar os amigos com o objetivo de comer (principalmente doces e café), relaxar e bater papo, pelo menos, duas vezes por dia. Pode ser um piquenique no parque, nas margens do rio ou um dos canais, na praia ou nas dezenas de cafeterias e padarias espalhadas por Gotemburgo. Não deixe de provar o delicioso pão de canela.

Haga
Haga é ótimo para o fika

Fazer um cruzeiro pelo rio Gota ou seus canais

Estar na terra dos Vikings e no maior porto da Escandinávia pede um passeio de barco. Fiz para ver o pôr do sol no rio Gota com coquetel, porém, era parte do evento e não tenho como recomendar. Partindo do mesmo porto em Kungsportplatsen, há um tour hop-on hop-off de barco onde o turista escolhe descer ou não nas 5 paradas, podendo embarcar novamente na próxima embarcação, basta cuidar os horários.

Passeio de barco ao pôr do sol no rio Gota
Passeio de barco ao pôr do sol no rio Gota

Visitar museus

Gotemburgo apresenta uma série de museus interessantes para ficar horas em cada um deles. Com tempo curto e dias lindos, optei por aproveitar os ambientes ao ar livre, deixando os museus para uma ida futura. Visitei apenas o Nordic Watercolour Museum por estar incluso no roteiro a Tjörn. Deixo a lista dos mais importantes:

  • Konstmuseum é o melhor e maior museu de Gotemburgo com exposições de arte e fotografia.
  • Volvo Museum é sobre automobilismo e a fábrica mais conhecida de Gotemburgo.
  • Nordic Watercolour Museum exibe somente aquarelas e também vale pelo cenário na Costa de Bohuslän.

Veja a lista completa e mais informações no site da cidade.

Assim foram os meus dias em Gotemburgo e tudo isso esta apenas de um lado do rio, faltou conhecer o outro. Acha que vale a pena incluir no seu roteiro? Se já visitou, deixe nos comentários o que mais gostou.

Acesso rápido: O que fazer | Onde dormir | Tours | Transporte | Onde comer |

Prédios da rua Skanstorget
Prédios da rua Skanstorget

Hospedagem em Gotemburgo

Por conta do Adventure Travel World Summit acontecer no icônico Clarion Hotel Post, fiquei hospedada por ali com café da manhã maravilhoso e conforto. Além da localização e piscina com vista no terraço, o hotel mantem uma horta adubada com os restos de comida dos hóspedes. Exemplo de sustentabilidade na prática.

RESERVE AQUI | COMPARE VALORES DOS SITES DE BUSCA

No último dia mudei para o outro lado da cidade no Backpackers Göteborg e foi ótimo para explorar os bairros Haga e Linné a pé. No primeiro momento achei ruim ser tão longe, mas bastou uma caminhada nos arredores para ter valido a pena trocar, além da enorme economia de compartilhar espaços com outros viajantes.

RESERVE AQUI | COMPARE VALORES DOS SITES DE BUSCA

^ Voltar início ^

Clarion Post Hotel no centro de Gotemburgo
Clarion Post Hotel

Como chegar e circular

Fiz quase tudo a pé, a não ser pela ida ao aeroporto e eventuais trams para voltar a hospedagem depois de caminhar muito e estar exausta. O transporte público é pontual, conecta todos os pontos e o pagamento é por auto-atendimento com cartão de crédito. Vale se informar sobre o programa Next do Gothenburg, é uma série de lugares interessantes para visitar utilizando transporte público de Gotemburgo. Além disso, é muito fácil alugar bicicletas e patinetes por aplicativo, estão por toda parte. Quem não se sente seguro de sair caminhando por aí, existe o ônibus hop-on hop-off passando pelos principais pontos turísticos ou passeios guiados como esses oferecidos pela Get Your Guide.

De avião são dois aeroportos – Landvetter e Göteborg City, com voos diários conectando várias cidades da Europa. Sendo o segundo somente para companhias low coast. Eu parti pelo primeiro, distante 25 km da Estação Central, de onde peguei um ônibus direto e cheguei em meia hora em um sábado a tarde.

Por terra há boas estradas e ferrovias para as principais cidades da Suécia, além de Oslo e Copenhagen. Vim de Mora de trem em uma viagem de 7 horas com paisagens rurais. A chegada é na Estação Central onde fica a maioria dos hotéis.

Por mar há ferries regulares partindo e chegando para portos na Dinamarca e Alemanha.

Leia o texto dicas aos viajantes para mais informações para viajar pela Suécia.

Mapa de Gotemburgo

Vista do Skansparken
Vista do Skansparken
Skansen Kronan
Skansen Kronan vista do bairro Linné
Casa dentro do Botanical Garden
Casa dentro do Botanical Garden

Essa viagem foi parcialmente patrocinada pela Visit Sweden à convite da ATTA.

^ Voltar início ^

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Roberta Martins

Roberta Martins

Publicitária, geradora de conteúdo sobre turismo, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 13 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e ecoturismo. Saiba mais na página da autora.

Deixe uma resposta