Acesso rápido: Notícia | Como ajudar | Como não causar um incêndio?

Atenção! Austrália não está permitindo a entrada de estrangeiros no país até 2021. Apenas residentes da Nova Zelândia conseguem entrar com restrições. 

Nota do editor: Este não é o melhor momento de viajar para fora do Brasil, mas pode ser agradável planejar uma viagem futura ou aprender algo lendo nossas experiências. Continue conosco!

Leia todos os artigos sobre a Austrália

Saiba onde nos hospedamos

As estradas da Austrália são ótimas para alugar carro

Use a Get Your Guide para agendar passeios e transfers ou saiba como funciona

Quando a sombra alcança a pedra vem a cor roxa
+ Melhores fotos da Austrália

Incêndio na Austrália

Na verdade, não é um incêndio, são centenas de focos em diferentes pontos do país, que é continental. Obviamente preocupante, me afeta diretamente porque irei para lá em algumas semanas, assim como alguns leitores irão ainda esse ano.

Antes, aviso que na Western Australia, região onde vive a minha família, o fogo está sob controle. As cenas de destruição, fumaça e preocupação com a vida selvagem exibidas nos noticiários pelo mundo se concentram nos estados de Victoria e New South Wales, na costa sul e sudeste. Justamente onde ficam as cidades mais turísticas e populosas como Sydney, Melbourne e Adelaide (maior risco até a hora da publicação).

Desde setembro, o incêndio na Austrália queimou quase 2 mil casas em uma área maior que os últimos no Amazonas e Califórnia juntos. 24 pessoas e centenas de animais perderam a vida, principalmente coalas por se movimentarem de forma lenta. Infelizmente, a previsão não é nada boa, conforme declarou o primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison:

“As chamas podem continuar por meses.”

Os incêndios na Austrália são um fenômeno natural comum nos meses mais quentes, porém, tudo está mais intenso nessa temporada. Os motivos podem ser as mudanças climáticas somadas à interferência humana ao jogar bitucas de cigarro, queimar lixo ou descuidar da fogueira. Inclusive, é proibido queimadas nessa época justamente para evitar desastres e o governo se prepara para esse momento, acontece de ter começado antes do previsto e acabou saindo do controle. Conforme artigo publicado no G1, a tendência é a natureza se recuperar e os estragos serem menores que os recentes incêndios na Amazônia, mesmo atingindo uma proporção bem maior.

Fogueira no acampamento
Teve fogueira quando acampei no Outback, mas com cuidados para não deixar nenhuma faísca na hora de ir embora

O que fazer se tem viagem marcada para Austrália

A Austrália é um país bem preparado para desastres naturais, conseguindo evacuar rapidamente áreas de risco antes mesmo de algo acontecer, conforme relatos do meu irmão, Leandro Martins. Desta vez, parece ter saído do controle, no entanto, poderia ser bem pior se não houvesse esse cuidado com a população. Já com os animais houve falta de prevenção e os danos podem ser irreversíveis na costa leste, mas não em todo o país como dão a entender as chamadas sensacionalistas. 

Um tranquilizante para os viajantes, de acordo com a divulgação do órgão de turismo oficial do país, é que a maior parte da Austrália não está pegando fogo e muitas atrações turísticas continuam operando normalmente. É possível acompanhar as condições e previsões do local a ser visitado através dos sites oficiais de cada território, além disso, NSW Rural Service lançou o aplicativo Fires Near Me (Fogo perto de mim) com informações sempre atualizadas. 

As cidades Sydney, Melbourne e Adelaide continuam em pé, o problema é a fumaça tóxica, a falta de visibilidade e o transporte nos arredores. Outros destinos como Gold Coast, Cairns, Alice Springs, Tasmânia e Perth vivem os incêndios previstos e estão mantendo tudo sobre controle. Claro que a fumaça pode atrapalhar, afinal chegou até aqui. Isso depende do vento e da concentração dos focos de incêndio.

Dicas para quem vai viajar para a Austrália em 2020

Se vai viajar nos próximos dias e as cidades afetadas estão no roteiro, é preciso avaliar alternativas, mas não precisa cancelar a viagem. Pode procurar passagens aéreas para a Ásia, por exemplo, são mais em conta do que os voos internos para comprar / alterar de última hora e há muitas opções. Ou aproveite para conhecer destinos menos conhecidos como a paradisíaca Esperance. A australiana Sarah Reid, da National Geographic, recomenda levar máscara do tipo P2 ou N95 (devem estar escassas no país) e acompanhar também as condições do ar no site AQICN.

Se esta planejando a viagem, evite Sydney (toda costa sul de NSW) e Melbourne (principalmente o nordeste de Victoria) até as autoridades retirarem o estado de emergência. Leia as notícias mais atuais e não deixe de sonhar com a Austrália, provavelmente, irá se recuperar logo e vai precisar bastante dos turistas para movimentar a economia.

Se o destino for Queensland, busque pelas informações da Mirella do Viajoteca, ela é brasileira, mora em Brisbane e deve ter dicas importantes.

Como ajudar as vítimas do incêndio na Austrália?

Fonte: National Geographic

Além desses, uma comunidade de brasileiros na Austrália criou uma campanha no Facebook para arrecadar fundos. Não conheço os responsáveis, mas vale se informar se tiver algum amigo de amigo envolvido.

Por fim, certamente todas essas questões serão discutidas no Adventure Travel World Summit que acontece em outubro de 2020 em Adelaide. Participei na edição da Suécia ano passado (durante os incêndios na Amazônia) e vi uma movimentação forte de pessoas engajadas em tornar o turismo mais responsável e transformador para um mundo melhor. O evento reúne governos, empresas relacionadas ao turismo de aventura e imprensa para compartilharem vivências e criarem novas soluções sustentáveis.  

Como não causar um incêndio?

Enquanto o incêndio na Austrália virou manchete no mundo, estava 100% desconectada acampada no Uruguai, mas pensando nesse tema. Fiz uma viagem de carro pelas estradas uruguaias e senti o cheiro de uma área queimada quando me aproximei do Parque Nacional Santa Teresa, havia passado por ali na ida e estava tudo verde, agora está bege, seco e carbonizado por alguns quilômetros. Não foi a primeira vez que a tristeza me atingiu nessa região. Anos atrás foi difícil achar um lugar para acampar sem fuligem causada por um grande incêndio, provavelmente, provocado por um turista que colocou fogo no lixo da casa alugada em Punta del Diablo (o vilarejo mais próximo ao parque lota no verão).

Desta vez, celebrei a virada do ano com cerca de 30 amigos compartilhando o mesmo acampamento e foi ótimo. Mas passei me agachando para catar tampinhas, plástico e bitucas de cigarro jogadas ao chão por eles na emoção do momento (ou descaso mesmo), além de confirmar que a fogueira havia sido apagada depois de todos terem ido para as suas barracas. Esses detalhes podem evitar um incêndio de grandes proporções. Assim como ocorre na Austrália, as fortes rajadas de vento espalham o fogo rapidamente criando novos focos. Felizmente, vi os parques mais atentos com placas indicando os riscos de incêndio e fornecendo panfletos informativos aos turistas. Antes não era assim.

Alerta incêndio na Austrália
Placa avisa sobre o risco de incêndio no parque

Finalizo com as dicas que deveriam ser óbvias, mas o povo esquece:

  • Certifique-se de realmente ter apagado o cigarro e jamais jogue a bituca no chão;
  • Veja se é permitido fazer fogueira, cave um buraco e coloque uma barreira de areia para o fogo não alcançar a vegetação; 
  • Não vá dormir ou deixe o acampamento sem apagar o fogo.

Por enquanto é isso, em breve conto mais sobre a próxima viagem a Austrália.

Foto destaque de Pixabay.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Para quem chegou até aqui, agradecemos por valorizar o nosso conteúdo. Diferente das grandes corporações de mídia, Territórios é independente e se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e ouvintes. Você pode apoiar o nosso trabalho de diversas formas como:

1. Aproveitar os benefícios do financiamento coletivo

2. Levar nossos guias de viagem no celular

3. Contratar produtos e serviços recomendados através dos links nos artigos. Exemplos e como fazer: alugar veículos, reservar hospedagem e excursões, comprar seguro, chip internacional e moeda estrangeira, entre outros. A venda nos gera uma comissão sem aumentar o valor final, inclusive, repassamos os descontos para você.

A informação foi útil? Talvez queira apoiar e fazer parte da comunidade Territórios!

Compartilhe ideias e converse com outros leitores no grupo no Facebook ou acompanhe no Spotify e grupo de avisos do Whats App.

Author Roberta Martins

Comunicadora, idealizadora deste site, fotógrafa e guia de turismo. Há 15 anos relata suas experiências de viagem focando em cultura e aventura. Saiba mais na página da autora. Encontre no Instagram

2 Comentários

  1. Oi Roberta,
    Muito informativo seu relato e obrigada pelo link.
    Em Brisbane, Queensland, tudo está normalizado no momento. Tivemos semanas muito ruins em novembro/dezembro, com fumaça cobrindo a cidade e até rodovias para gold ou sunshine coast sendo bloqueadas devido aos incêndios e visibilidade, mas agora os focos estão controlados na minha região. Então Queensland voltou a normalidade.
    Estou para escrever um post sobre o assunto, mas como fiquei dezembro no Brasil, acabou que fiquei apenas assistindo os noticiários e o catástrofe que o fofo vem causado.
    Sobre os animais, estamos falando em milhares, e li ontem uma reportagem que mais de um bilhão de animais foram mortos!
    Enfim, agora nos resta fazer doações, se manter informado, evitar atitudes que podem prejudicar e acima de tudo, aprender!!!

    • Roberta Martins Responder

      Bom que gostou Mirella, obrigada pela visita. Espero que tudo se recupere por aí

Deixe seu recado, escreva algo