Sighisoara

Seguindo os rastros do Drácula em Sighisoara


É bastante fácil identificá-los. Estão vestidos de preto e levam souvenires vampirescos de todos os tipos – canecas em forma de morcego, dentes afiados postiços, imãs de geladeira em formato de alho e estacas de madeira. E mal conseguem se conter ao chegar neste impecável conjunto medieval romeno. Eles são fãs fervorosos do Conde Drácula. Estamos na Transilvânia, cidade medieval de Sighisoara, o local onde nasceu Vlad Tepes, o príncipe romeno que inspirou o escritor Bram Stoker.

Atenção! A União Europeia está permitindo a entrada de estrangeiros provenientes de 14 países com casos de Covid-19 controlados e com reciprocidade na abertura de fronteiras. Apenas Uruguai e Canadá, das Américas, entraram na lista válida a partir de julho.

Nota do editor: aqui no Territórios, nossa prioridade é fornecer aos leitores as informações necessárias para tomar decisões sobre viagens, além de inspiração e conhecimento. Este não é o melhor momento de viajar para fora do Brasil, mas pode ser agradável planejar uma viagem futura ou aprender algo lendo nossas experiências. Continue conosco!

Pegue as dicas para alugar um carro no exterior

Quer agendar passeios e transfer agora na Romênia? Use a Get Your Guide ou saiba como funciona

Onde nasceu a inspiração
Onde nasceu a inspiração

Sighisoara

Considerada patrimônio da humanidade pela UNESCO, esta cidadela romena perdida no tempo – localizada a 175 quilômetros de Bucareste – está estrategicamente posicionada no alto de uma colina, entre as montanhas, e protegida dos ataques turcos nos séculos longínquos.

Os telhados e a vista
Os telhados e a vista
Ruelas
Ruelas

Das ruelas estreitas de paralelepípedo aos casebres coloridos, tudo continua incrivelmente bem conservado. Exatamente como no ano de 1431, época em que o Drácula nasceu. Porém, Sighisoara vai muito além do mito. É impossível não se encantar com a vista panorâmica para as montanhas da Transilvânia (de tirar o fôlego!) ou com suas onze torres intactas e suas muralhas originais.

O que fazer em Sighisoara

Vou seguindo um grupo de ingleses, todos vestidos de preto. Percebo o entusiasmo e a animação. Seguimos até o MUSEU DA TORTURA  (um pequeno, mas simpático museu dedicado aos diversos modos de despedaçar, esquartejar e empalar prisioneiros) até chegar ao MUSEU DAS ARMAS MEDIEVAIS (quatro salas repletas de espadas, armaduras, escudos, maças, arcos e outras armas medievais).

Porém o local mais visitado é a CASA WAGNER. O casarão onde nasceu Vlad Tepes no dia 8 de novembro de 1431. O local funciona atualmente como um hotel e um restaurante. Aqui é possível conhecer a historia do personagem real. O príncipe foi governante da Wallachia de 1448 a 1476. O nome romeno Draculea (filho de Dracul) foi-lhe concedido pelo seu pai, Vlad III, chamado Vlad Dracul por pertencer à Ordem do Dragão.

Historicamente, Vlad é conhecido por sua política de independência em relação ao Império Otomano e pelas punições excessivamente cruéis que impunha aos seus prisioneiros. Ao mesmo tempo em que se tornou famoso por seu sadismo, era respeitado pela justiça que conduzia seu reinado e pela ferocidade que lutou com os invasores turcos. Durante o seu reinado, ergueu grandes mosteiros.

Relógio da Torre
Relógio da Torre
Rua e pessoas em Sighisoara
Rua e pessoas em Sighisoara

Além da oportunidade de conhecer uma das cidadelas medievais melhor conservada da Europa, visitar Sighisoara foi um verdadeiro mergulho em um livro de história.

A maioria das atrações de Sighisoara estão enclausuradas no compacto centro histórico situado em cima da colina. Seus muros centenários envolvem edifícios de grande beleza, como a Torre do Relógio, a igreja da colina, os museus da tortura e das armas medievais e a casa do Conde Drácula.

Que tal um jantar com o Drácula na Romênia?

Ruas de paralelepípedos
Ruas de paralelepípedos
receba dicas da Europa por e-mail

Tome Nota Sighisoara

Como chegar e sair

Por ser um destino bastante turístico, a cidade tem muitas opções de transporte. Uma dúzia de trens conectam a cidadela com Brasov, sendo que nove deles vão até a capital Bucareste. Além disso, cinco trens diários fazem conexão com Cluj-Napoca.  Táxis passam a cada duas horas em direção a Târgu Mures e Brasov. Os carros de passeio têm que pagar € 2,90 ao chegar na cidadela.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Davi Carneiro

Davi Carneiro

Davi Carneiro é baiano, jornalista, viajante, blogueiro de viagens, aprendiz de escritor e formado no Master de Periodismo de Viajes em Barcelona. Atualmente mora na Romênia.

2 comentários

  1. Ola, Milena.

    Obrigado pelo comentário 🙂 O Leste Europeu tem lugares realmente preciosos e que ainda não são tão conhecidos. Sighisoara é um bom exemplo. Te recomendo demais a viagem 🙂 saudações

    Davi

  2. Linda matéria Davi! Amei a descrição do local e fiquei ainda mais fascinada por esse lugar que há tempos quero conhecer. Deve ser o máximo passear por essas ruas antigas e ver essa paisagem Romena encantadora.

Deixe uma resposta