As verdadeiras Havaianas – Duas semanas, duas ilhas do Havaí


O lugar já estava escolhido: Hawaii. A dúvida era: qual ilha? Quase ninguém sabe mas o Havaí (em português) é o nome dado para um arquipélago – um conjunto de ilhas, com mais de cem! As oito maiores e mais visitadas pelos turistas são: Ni’ihau, Kaua’i, O’ahu, Moloka’i, Lãna’i, Kaho’olawe, Maui e Big Island. Por pertencer aos Estados Unidos, é talvez um dos lugares mais visitados pelos americanos – e japoneses, como descobri depois.

Como escolher a ilha? O que faz uma ilha ser “melhor” do que a outra? Como saber? Tantas perguntas…

Atenção! Turistas provenientes do Brasil estão proibidos de entrar nos EUA devido à pandemia Covid-19.

Nota do editor: Este não é o melhor momento de viajar para fora do Brasil, mas pode ser agradável planejar uma viagem futura ou aprender algo lendo nossas experiências. Continue conosco!

Leia todos os artigos sobre os Estados Unidos
+Saiba onde nos hospedamos
+As estradas americanas são ótimas para alugar carro
+Economize tempo e não pague IOF comprando ingressos na Civitatis ou saiba como funciona

Qual ilha escolher no Havaí

Por Rodrigo Baena ℹ︎

As opiniões expressas pelos viajantes colaboradores são próprias e nem sempre refletem o pensamento do Territórios. Conheça o autor ou deixe um comentário.

Estava indo viajar com dois amigos brasileiros: o Renato, um médico carioca que estava de partida de volta para o Brasil, e o Renzo, um outro carioca amigo que logo logo também voltaria. Sentamos um dia num bar para decidir qual ilha iríamos. Duas cervejas depois e estava tudo decidido. O Renato já tinha lido quase tudo sobre as ilhas e sabia de mais coisas que eu e o Renzo juntos. Facilmente ele nos convenceu que O’ahu seria uma das ilhas. A capital do Hawaii e umas das praias mais conhecidas do mundo fica lá – Honolulu. Quem nunca sonhou em mergulhar nas ondas onde o long-board surf foi criado?

Rodrigo alimenta pássaros num monastério em Oahu, Havaí
Alimentando pássaros num monastério em Oahu

Legal. E a outra ilha? Big Island é a maior. Cogitamos ir para lá, mas o fato é que teríamos que dirigir alguns dias para conhecer só um dos lados da ilha. Gastaríamos muito tempo e gasolina na estrada. Perguntamos para alguns amigos, e para o santo Google, e decidimos por Maui. Muitas pessoas disseram ser uma das ilhas mais bonitas e com uma natureza linda, muito parecida com o Brasil.

O’ahu

Chegamos a O’ahu. O calor abafado e seco que recebi quando sai do aeroporto lembrou mesmo o Brasil. Parada para alugar um carro e partimos para o hostel que iríamos ficar em Honolulu. Lugar lindo – turístico, mas lindo. Percebemos rápido que os japoneses dominavam aquela parte da ilha. Claro, eles ficavam bem do outro lado do oceano. Umas 3 ou 4 horas de viagem e já estavam ali!

Petiscos no North-Shore, no Havaí
Petiscos no North-Shore
Tradicional comida e dança Polinésia (nosso porco no rolete)
Tradicional comida e dança Polinésia (nosso porco no rolete)

Nos dias seguintes conhecemos a famosa parte norte da ilha – North Shore, onde os maiores campeonatos de surf do mundo acontecem, e o nordeste do Havaí. Lá um centro de cultura Polinésia faz parte da viagem de todos os turistas. Mas valeu a pena. Assistimos um show com direito a jantar tradicional Polinésio que deixou a gente de queixo caído – muito bem organizado e com uma produção de Hollywood.

Maui

Aproveitamos a ilha de ponta a ponta – com direito à visita ao Pearl Harbor e voamos para Maui. Não sabíamos se o lugar onde tínhamos escolhidos para ficar era bom, e mais uma vez fomos surpreendidos pela visão do paraíso: uma vila pequena chamada Lahaina. Sabe aquela imagem antiga de uma vila de pescadores e um mar perfeito? Era lá! Alugamos mascara para mergulhar e até achamos uma tartaruga embaixo d’agua. Algo simples, mas que me deixou tão feliz.

Conversando com um cara local descobrimos que aos domingos havia uma espécie de sarau – música, dança – e algumas pessoas nuas numa praia escondida no sul da ilha. Nos sentimos em pleno Woodstock, sabe? Umas 20 pessoas tocando tambores, outras tocando violão, outras nuas ou semi nuas. Ali nós vimos as verdadeiras Havaianas, como vieram ao mundo.

A verdadeira Havaiana, no Havaí
A verdadeira Havaiana

Ainda conseguimos ver o pôr-do-sol no topo de um vulcão desativado antes de voltar à vida normal.

Mas nada mais seria normal depois desta viagem.

Clima havaiano
Clima havaiano

Tome Nota Havaí

Verifique se seu cartão de crédito ou seu seguro de viagem cobre aluguel de carro. O valor sem o seguro fica quase metade do preço normal.

Cheque alguns lugares antes de alugar pranchas, long-boards ou mascaras de snorkel. Um lugar bem barato foi o Frog.

Chegue cedo para ver o pôr do sol no vulcão de Maui. Um trânsito pode fazer você perder o espetáculo.

Onde se hospedar no Havaí:
Em Oahu / Honolulu ficamos no Waikiki Backpackers e em Maui no Lahaina’s Last Resort.

© Todos os direitos reservados. Fotos e relato 100% originais.

Para quem chegou até aqui, agradecemos por valorizar o nosso conteúdo. Diferente das grandes corporações de mídia, Territórios é independente e se financia por meio da sua própria comunidade de leitores e ouvintes. Você pode apoiar o nosso trabalho de diversas formas como:

1. Aproveitar os benefícios do financiamento coletivo

2. Levar nossos guias de viagem no celular

3. Contratar produtos e serviços recomendados através dos links nos artigos. Exemplos e como fazer: alugar veículos, reservar hospedagem e excursões, comprar seguro, chip internacional e moeda estrangeira, entre outros. A venda nos gera uma comissão sem aumentar o valor final, inclusive, repassamos os descontos para você.

A informação foi útil? Talvez queira apoiar e fazer parte da comunidade Territórios!

Compartilhe ideias e converse com outros leitores no grupo no Facebook ou acompanhe no Spotify e grupo de avisos do Whats App.

Territórios é afiliado e ganha comissão por clique ou reserva consolidada. Mas você não paga nada a mais por isso e ainda colabora com o nosso trabalho de curadoria de conteúdo. 

Você está em INICIAL » EXPERIÊNCIAS » As verdadeiras Havaianas – Duas semanas, duas ilhas do Havaí
Rodrigo Baena

Rodrigo Baena é jornalista por profissão, fotografo por paixão e viajante "quase" profissional.

1 Comentário

Deixe seu recado, escreva algo

Pin It